Mercado fechado
  • BOVESPA

    100.552,44
    +12,61 (+0,01%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.669,25
    +467,44 (+1,22%)
     
  • PETROLEO CRU

    39,94
    -0,09 (-0,22%)
     
  • OURO

    1.923,60
    -5,90 (-0,31%)
     
  • BTC-USD

    12.898,77
    +1.841,76 (+16,66%)
     
  • CMC Crypto 200

    257,79
    +12,90 (+5,27%)
     
  • S&P500

    3.435,56
    -7,56 (-0,22%)
     
  • DOW JONES

    28.210,82
    -97,97 (-0,35%)
     
  • FTSE

    5.776,50
    -112,72 (-1,91%)
     
  • HANG SENG

    24.754,42
    +184,88 (+0,75%)
     
  • NIKKEI

    23.639,46
    0,00 (0,00%)
     
  • NASDAQ

    11.619,25
    -72,00 (-0,62%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6510
    +0,0010 (+0,02%)
     

EDP está atenta a todas as oportunidades, diz presidente sobre privatizações

Letícia Fucuchima e Gabriela Ruddy
·1 minuto de leitura

Segundo Miguel Setas, as distribuidoras CEB e CEEE, que devem ser privatizadas, são ótimas do ponto de vista do mercado que ocupam e do potencial que têm de geração de valor O Grupo EDP olha novas oportunidades de negócio, afirmou o presidente da EDP Brasil, Miguel Setas, ao ser perguntado sobre o interesse na privatização das distribuidoras de energia CEB e CEEE, durante o Encontro Nacional de Agentes do Setor Elétrico (Enase) na manhã desta quinta-feira (1º de outubro). “As duas companhias são ótimas, do ponto de vista do mercado que ocupam e do potencial que têm de geração de valor. O Grupo EDP está atento a todas as oportunidades do mercado, não só em distribuição, mas também em geração e transmissão”, afirmou Setas. Também presente ao evento, o presidente da Neoenergia, Mario Ruiz Tagle, confirmou que observa os processos de privatização e outras oportunidades de expansão. “Olharemos com atenção, mas sempre respeitando uma política muito responsável e alocação de capital. Não adianta fazer oferta arriscada visando o aumento do número de clientes, tem que ter racional econômico, financeiro e operativo que não nos tire do nosso foco de expansão. Mas também estamos atentos a oportunidades”, disse Tagle. No último sábado (26), o governo do Distrito Federal anunciou a privatização da estatal CEB. O preço mínimo de venda é de R$ 1,424 bilhão, valor foi calculado a partir de duas avaliações realizadas por consultorias independentes contratadas pelo BNDES (Banco do Desenvolvimento Econômico e Social). Mais avançado, o processo para venda da distribuidora de energia gaúcha CEEE-D já abriu um “data room”, a partir do qual investidores interessados podem acessar dados completos do ativo. O leilão da companhia deve ocorrer no começo de 2021.