Mercado fechará em 4 h 55 min
  • BOVESPA

    123.834,35
    -1.840,98 (-1,46%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.087,12
    -547,48 (-1,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,59
    -0,03 (-0,04%)
     
  • OURO

    1.826,60
    -9,20 (-0,50%)
     
  • BTC-USD

    38.997,07
    -941,55 (-2,36%)
     
  • CMC Crypto 200

    924,32
    -25,59 (-2,69%)
     
  • S&P500

    4.395,38
    -23,77 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.953,15
    -131,38 (-0,37%)
     
  • FTSE

    7.039,25
    -39,17 (-0,55%)
     
  • HANG SENG

    25.961,03
    -354,29 (-1,35%)
     
  • NIKKEI

    27.283,59
    -498,83 (-1,80%)
     
  • NASDAQ

    14.938,75
    -99,00 (-0,66%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1011
    +0,0606 (+1,00%)
     

EDP diz que sede foi alvo de buscas em investigação fiscal

·1 minuto de leitura
Logo da EDP fotografado em Oviedo, Espanha

Por Sergio Goncalves

LISBOA (Reuters) - A portuguesa EDP disse nesta terça-feira que a sua sede havia sido revistada no âmbito de uma investigação sobre alegação de fraude fiscal relacionada com a venda de seis barragens à empresa francesa Engie.

Em dezembro de 2019, a EDP concordou em vender seis centrais hidrelétricas na bacia do Douro a um consórcio internacional liderado pela Engie por 2,2 bilhões de euros. O processo de venda foi concluído um ano mais tarde.

Nos últimos meses, os deputados portugueses da oposição acusaram a EDP de criar um esquema financeiro para evitar o pagamento de mais de 100 milhões de euros em impostos.

Um porta-voz da EDP afirmou que a sede do grupo em Lisboa tinha sido alvo de buscas, mas que a empresa acreditava não ter feito nada de errado.

"A EDP está cooperando plenamente com as autoridades e continua convencida de que a operação de venda cumpre todos os requisitos legais", disse o porta-voz.

A Engie não respondeu imediatamente ao pedido de comentários.

Em março, o ministro das Finanças João Leão disse a uma comissão parlamentar que a autoridade fiscal estava trabalhando no caso e reunindo "elementos preparatórios" para forçar a EDP a pagar os impostos se descobrissem que a empresa utilizava lacunas para evitar o pagamento.

A EDP disse que a forma como a venda tinha sido organizada se destinava a garantir que as barragens continuariam a funcionar sem problemas e não a evitar impostos.

(Reportagem de Sergio Goncalves)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos