Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.036,79
    +2.372,79 (+2,20%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.626,80
    -475,80 (-1,05%)
     
  • PETROLEO CRU

    79,74
    -1,49 (-1,83%)
     
  • OURO

    1.668,30
    -0,30 (-0,02%)
     
  • BTC-USD

    19.197,93
    -101,29 (-0,52%)
     
  • CMC Crypto 200

    443,49
    +0,06 (+0,01%)
     
  • S&P500

    3.585,62
    -54,85 (-1,51%)
     
  • DOW JONES

    28.725,51
    -500,09 (-1,71%)
     
  • FTSE

    6.893,81
    +12,22 (+0,18%)
     
  • HANG SENG

    17.222,83
    +56,93 (+0,33%)
     
  • NIKKEI

    25.937,21
    -484,89 (-1,84%)
     
  • NASDAQ

    11.058,25
    -170,00 (-1,51%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,3079
    +0,0099 (+0,19%)
     

Ecorodovias vence concessão de rodovias em SP com outorga de R$1,2 bi; ação desaba

Por Andre Romani

SÃO PAULO (Reuters) - A Ecorodovias venceu nesta quinta-feira o leilão de concessão rodoviária do chamado lote noroeste paulista, composto por estradas que interligam cidades como São José do Rio Preto, Araraquara, São Carlos e Barretos, com um valor de outorga fixa de 1,236 bilhão de reais, o que pressionava suas ações na B3.

O valor representa um ágio de 16.151% ante a outorga mínima de 7,6 milhões de reais. O certame teve três propostas, sendo que a segunda maior veio da rival CCR, que ofereceu 753,8 milhões de reais. A diferença não foi suficiente para levar a disputa para o vivo a voz.

A outra proponente foi a Infraestrutura Brasil Holding XXI, do Pátria, que ofereceu 321,3 milhões de reais.

As ações da Ecorodovias recuavam forte após o resultado do leilão. Por volta de 16:25, os papéis caíam 7,70%, a 5,63 reais, liderando as quedas do Ibovespa, que perdia 0,68%.

A concessão, de 30 anos, é composta por cerca de 600 quilômetros de rodovias e tem previsão de 10 bilhões de reais em investimentos em obras e mais 3,9 bilhões de reais em operação, segundo o governo de São Paulo.

O contrato ainda inclui uma outorga variável de 8,5% da receita bruta.

"O lote noroeste gera Ebitda desde o início da concessão e alonga o prazo de duração do portfólio", disse a Ecorodovias em fato relevante, acrescentando que sua oferta "demonstra claramente o compromisso de crescimento da companhia com retorno sustentável e disciplina financeira".

O lote é composto por um trecho novo de concessão e dois já concedidos, operados até então pelas concessionárias Triângulo do Sol - da italiana Atlantia e da família Bertin - e Tebe - de um conjunto de empresas de engenharia.

A Ecorodovias disse que a outorga fixa será paga antes da assinatura do contrato, que poderá ocorrer até 30 dias antes do encerramento do atual contrato da Triângulo do Sol, previsto para abril de 2023. O contrato de concessão da Tebe acaba em março de 2025.