Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.923,93
    +998,33 (+0,90%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.234,37
    -223,18 (-0,43%)
     
  • PETROLEO CRU

    80,34
    -0,88 (-1,08%)
     
  • OURO

    1.797,30
    -3,80 (-0,21%)
     
  • BTC-USD

    16.965,91
    +12,02 (+0,07%)
     
  • CMC Crypto 200

    404,33
    +2,91 (+0,72%)
     
  • S&P500

    4.071,70
    -4,87 (-0,12%)
     
  • DOW JONES

    34.429,88
    +34,87 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.556,23
    -2,26 (-0,03%)
     
  • HANG SENG

    18.675,35
    -61,09 (-0,33%)
     
  • NIKKEI

    27.777,90
    -448,18 (-1,59%)
     
  • NASDAQ

    11.979,00
    -83,75 (-0,69%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4940
    +0,0286 (+0,52%)
     

Economistas preveem juros do Fed a 5% em 2023 e recessão global

(Bloomberg) -- O Federal Reserve provavelmente manterá sua postura agressiva e estabelecerá as bases para que os juros cheguem a 5% em março de 2023, o que deve levar os EUA e o mundo a uma recessão, segundo economistas consultados pela Bloomberg.

O Comitê Federal de Mercado Aberto (FOMC) aumentará a taxa básica dos EUA em 0,75 ponto percentual pela quarta reunião consecutiva na próxima quarta-feira, segundo a pesquisa.

Os economistas projetam mais meio ponto em dezembro, e altas de um quarto nas duas reuniões seguintes. As projeções do Fed divulgadas na reunião de setembro mostravam os juros chegando a 4,4% este ano e 4,6% no próximo, com cortes em 2024.

Os Economistas veem um Fed determinado a não mudar a direção da política monetária cedo demais diante da inflação mais alta em 40 anos.

A estimativa de uma taxa de pico mais alta reflete números mais altos do que o esperado para o núcleo do índice de preços ao consumidor nos últimos dois meses. A pesquisa com 40 economistas foi realizada de 21 a 26 de outubro.

“As pressões inflacionárias permanecem intensas e o Fed deve subir 75 pontos-base em novembro”, disse James Knightley, economista-chefe internacional do ING, em uma resposta à pesquisa. “Atualmente, estamos prevendo um aumento mais suave de 50 pontos-base em dezembro, devido a um cenário econômico e de mercado enfraquecidos”, mas os riscos pendem para uma quinta alta de 75 pontos-base, disse.

O presidente do Fed, Jerome Powell, disse que o banco central está fortemente comprometido em restaurar a estabilidade de preços. Ele alertou que o processo será doloroso.

Powell e seus colegas não perderam a esperança de conseguir um pouso suave para a economia. Mas pela primeira vez nas pesquisas antes da reunião do FOMC, a maioria dos economistas — três quartos — vê uma recessão como provável nos próximos dois anos, e a maioria dos restantes vê um pouso forçado com um período de crescimento zero ou negativo à frente.

O risco de que o banco central americano aumente juros demais e cause danos desnecessário à economia é maior do que o de apertar de menos, segundo 75% dos economistas.

More stories like this are available on bloomberg.com

©2022 Bloomberg L.P.