Mercado abrirá em 6 h 57 min
  • BOVESPA

    111.878,53
    +478,62 (+0,43%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    43.674,83
    +779,20 (+1,82%)
     
  • PETROLEO CRU

    45,21
    -0,07 (-0,15%)
     
  • OURO

    1.837,60
    +7,40 (+0,40%)
     
  • BTC-USD

    19.048,53
    -32,82 (-0,17%)
     
  • CMC Crypto 200

    373,74
    +8,82 (+2,42%)
     
  • S&P500

    3.669,01
    +6,56 (+0,18%)
     
  • DOW JONES

    29.883,79
    +59,87 (+0,20%)
     
  • FTSE

    6.463,39
    +78,66 (+1,23%)
     
  • HANG SENG

    26.682,16
    +149,58 (+0,56%)
     
  • NIKKEI

    26.737,94
    -63,04 (-0,24%)
     
  • NASDAQ

    12.467,75
    +13,50 (+0,11%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3604
    +0,0406 (+0,64%)
     

Economista-chefe do BCE alerta que Europa não recuperará PIB de 2019 até 2022

·1 minuto de leitura
O economista-chefe do Banco Central Europeu (BCE), Philip Lane, 18 de novembro de 2019 em Paris
O economista-chefe do Banco Central Europeu (BCE), Philip Lane, 18 de novembro de 2019 em Paris

O Produto Interno Bruto (PIB) europeu não vai recuperar o nível de 2019 até o outono de 2022, prevê o economista-chefe do Banco Central Europeu (BCE), Philip Lane, que acredita que não haverá melhora na economia nas últimas semanas de 2020.

O PIB "não vai recuperar seu nível de 2019 antes do outono de 2022. Haverá efeitos de longo prazo, por exemplo, na confiança e na poupança, na volta ao trabalho", disse Lane em entrevista ao Jornal econômico francês Les Échos.

"O que estamos observando de perto é a circulação do vírus que inevitavelmente limita o comportamento do consumidor, ainda mais do que as medidas de contenção. A questão é quanto tempo isso vai durar", disse o economista irlandês.

“O que parece claro é que não haverá melhora nas últimas semanas de 2020”, acrescentou.

Segundo o economista-chefe do BCE, “enquanto a vacina não for distribuída massivamente, continuaremos em um período de incertezas. A vacina traz principalmente uma perspectiva para o final do próximo ano e para 2022, mas não para os próximos seis meses".

“Apesar da vacina, haverá danos consideráveis. A economia europeia sairá desta crise muito fragilizada”, lamentou.

cho/cbn/eb/dga/am