Mercado fechado
  • BOVESPA

    114.647,99
    +1.462,52 (+1,29%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.798,38
    +658,14 (+1,26%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,66
    +1,35 (+1,66%)
     
  • OURO

    1.768,10
    -29,80 (-1,66%)
     
  • BTC-USD

    60.996,68
    +414,63 (+0,68%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.464,06
    +57,32 (+4,07%)
     
  • S&P500

    4.471,37
    +33,11 (+0,75%)
     
  • DOW JONES

    35.294,76
    +382,20 (+1,09%)
     
  • FTSE

    7.234,03
    +26,32 (+0,37%)
     
  • HANG SENG

    25.330,96
    +368,37 (+1,48%)
     
  • NIKKEI

    29.068,63
    +517,70 (+1,81%)
     
  • NASDAQ

    15.144,25
    +107,00 (+0,71%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3297
    -0,0741 (-1,16%)
     

The Economist diz que o Bitcoin pode ser um bom investimento

·2 minuto de leitura

Com a evolução do Bitcoin nos últimos anos, cada vez mais jornais críticos começam a ver a moeda como uma forma de investimento interessante. Desde bancos que passaram a se associar ao criptomercado, como o Goldman Sachs, até grandes nomes como Michael Saylor.

Recentemente outro jornal crítico passou a recomendar o Bitcoin, o respeitado The Economist publicou recentemente que a moeda pode oferecer uma boa oportunidade de investimento e está pronta para uma adoção ainda maior.

Na recente edição, do dia 25 deste mês, o The Economist afirmou que criptomoedas poderiam ser uma boa escolha quando o assunto é a diversificação de portfólio de investimentos.

Na coluna, que tem como foco falar sobre as vantagens das criptomoedas em um portfólio diversificado, o colunista do The Economist, John O’Sullivan afirmou que há uma clara falta de correlação entre o criptomercado e os ativos tradicionais do setor financeiro tradicional, já que as moedas digitais são ativos inovadores.

A falta de correlação quer dizer que o criptomercado tem a sua própria volatilidade e não depende de quedas de certas ações e títulos. Isso é importante porque o mercado financeiro é centralizado, ações, títulos e outros ativos de investimento podem variar de preço por diferentes decisões e problemas ligados à empresas e governos.

Enquanto isso é verdade para muitas outras criptomoedas, o Bitcoin tem a sua própria volatilidade movida pelo mercado.

O Bitcoin pode cair ou subir por decisões de empresas e governos também, mas no fundo, as alterações são mais descentralizadas e a “culpa” é distribuída entre a comunidade. A volatilidade do Bitcoin, tal como sua natureza, é volátil.

Na coluna o The Economist citou o trabalho de Harry Markowitz, um vencedor do Nobel de Economia que explicou a importância de ter um portfólio bem diverso com ativos mais e menos arriscados e voláteis, afirmando que essa é a estratégia para melhores retornos médios.

Com isso, ter um ativo em seu portfolio, mesmo que seja de risco, mas que não tem correlação com as ações e títulos que você já investiu é uma excelente forma de diversificar e até mesmo proteger os seus investimentos de diferentes situações. Na contra mão, ações e ativos tradicionais ajudam a proteger contra a inflação do Bitcoin.

Sem dúvidas o Bitcoin é uma moeda resiliente, o ativo já “morreu tantas vezes” que é até comparada com famosos personagens dos desenhos animados. Com a sua insistência em se mostrar uma forma viável de investimento, o BTC continua mudando a opinião de críticos e sendo recomendado até por grandes nomes.

Fonte: Livecoins

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos