Mercado fechado

Economia tem expansão de 0,1% em outubro, diz Monitor do PIB da FGV

Valor

No trimestre móvel encerrado em outubro, houve avanço de 0,7% A economia brasileira cresceu 0,1% em outubro, perante o mês anterior, e 0,7% no trimestre móvel encerrado em outubro, contra período equivalente até julho, segundo o Monitor do PIB, publicado nesta terça-feira pela Fundação Getulio Vargas (FGV). Na comparação com um ano antes, a economia também apresentou expansão, de 2% em outubro e de 1,4% no trimestre móvel findo em outubro.

Os resultados da FGV já incorporam a revisão das informações de exportação de bens da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) referentes a setembro e outubro.

“A economia continuou sua trajetória expansiva em outubro, com destaque para o bom desempenho do setor de serviços e do consumo das famílias. Destaca-se que o crescimento do consumo é reflexo de resultados positivos em todos os seus componentes. Com relação a FBCF, o resultado de outubro foi o segundo negativo na comparação mensal. Tais resultados podem sinalizar que, neste momento de implementação de reformas estruturais, a recuperação da economia está mais ancorada na expansão do consumo do que na dos investimentos”, diz Claudio Considera, coordenador do Monitor do PIB.

Marcello Casal Jr/ABr

Na análise interanual, as três grandes atividades econômicas cresceram, contudo, na análise contra setembro houve retrações na agropecuária e na indústria. Pela ótica da demanda, a exportação apresentou queda nas duas métricas enquanto o investimento retraiu apenas na análise ajustada sazonalmente.

O consumo das famílias cresceu 1,2% no trimestre móvel findo em outubro, em comparação ao mesmo trimestre de 2018, segundo a FGV. “Destaca-se, neste resultado, o crescimento do consumo de produtos duráveis, que cresceu 2,5% neste trimestre, impulsionado pelo aumento do consumo de eletrodomésticos e equipamentos de informática.”

A formação bruta de capital fixo (FBCF) cresceu 4,3% no trimestre móvel findo em outubro, em comparação ao mesmo trimestre de 201, com crescimento em todos os componentes da FBCF com destaque para o desempenho de máquinas e equipamentos, que aumentaram 6,9%, o que representa aproximadamente 60% do crescimento da FBCF.

A exportação apresentou queda de 3,7% no trimestre móvel findo em outubro, em comparação com o mesmo trimestre de 2018, diz a fundação. A exceção da exportação de produtos agropecuários, todos os demais grandes grupos de exportação tiveram retração neste trimestre, com destaque para a baixa da exportação de produtos da extrativa mineral (-11,6%).

A importação cresceu 4,9% no trimestre móvel findo em outubro, comparativamente ao mesmo trimestre de 2018, segundo o Monitor. Esse avanço é devido, principalmente, à expansão da importação de bens intermediários, que subiram 15,8% neste trimestre.

Em termos monetários, o PIB em valores correntes alcançou a cifra de R$ 5,989 trilhões no acumulado até outubro de 2019.

Assim, a taxa de investimento foi de 18,9%, em outubro. “Ela tem tido uma recuperação razoável desde meados de 2017, porém ainda segue abaixo da média da série histórica (19,3%), iniciada em janeiro de 2000.”

A FGV utiliza a série trimestral interanual para suas comparações por avaliar que apresenta menor volatilidade do que as taxas mensais e aquelas ajustadas sazonalmente, “permitindo melhor compreensão da trajetória de seus componentes”.