Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.451,20
    +74,85 (+0,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.442,21
    +436,10 (+0,97%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,88
    +3,38 (+4,31%)
     
  • OURO

    1.668,50
    +32,30 (+1,97%)
     
  • BTC-USD

    19.688,34
    +667,27 (+3,51%)
     
  • CMC Crypto 200

    447,10
    +18,32 (+4,27%)
     
  • S&P500

    3.719,04
    +71,75 (+1,97%)
     
  • DOW JONES

    29.683,74
    +548,75 (+1,88%)
     
  • FTSE

    7.005,39
    +20,80 (+0,30%)
     
  • HANG SENG

    17.250,88
    -609,43 (-3,41%)
     
  • NIKKEI

    26.173,98
    -397,89 (-1,50%)
     
  • NASDAQ

    11.539,25
    +205,50 (+1,81%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2336
    +0,0737 (+1,43%)
     

Economia russa encolhe 4% no 2º tri sob peso de sanções

Homem caminha em frente a loja de roupas fechada em Moscou, na Rússia

MOSCOU (Reuters) - A economia russa encolheu 4,0% no segundo trimestre em relação ao mesmo período do ano anterior, no primeiro trimestre completo inserido no que a Rússia chama de "operação militar especial" na Ucrânia, mostraram dados preliminares do serviço federal de estatísticas Rosstat nesta sexta-feira.

A economia está mergulhando em recessão, depois que Moscou enviou suas forças armadas para a Ucrânia, em 24 de fevereiro, provocando amplas restrições ocidentais a seus setores de energia e financeiro, incluindo o congelamento de reservas russas mantidas no exterior, levando dezenas de empresas ocidentais a abandonar o mercado russo.

A Rosstat não forneceu mais detalhes, mas analistas disseram que a contração foi causada pela fraqueza na demanda do consumidor e pelas consequências das sanções.

"Os dados de junho sugerem que a contração da economia russa parece ter chegado ao fundo do poço, já que a situação em alguns setores está se estabilizando", disse Sergey Konygin, economista do Sinara Investment Bank.

A contração do Produto Interno Bruto (PIB) no segundo trimestre não foi tão profunda quanto o esperado. Analistas consultados pela Reuters previam, em média, que o PIB encolheria 7% sobre um ano antes no período de abril a junho, após crescimento de 3,5% no primeiro trimestre.

Analistas do banco central russo esperavam que o PIB recuasse 4,3% no segundo trimestre sobre o mesmo período de 2021, dizendo que estava a caminho de cair 7% no terceiro trimestre. O banco central projeta que a economia começará a se recuperar no segundo semestre de 2023.

Dado o ambiente político altamente volátil, as previsões oficiais para a profundidade da recessão da Rússia variam.

O Ministério da Economia disse em abril que o PIB pode cair mais de 12% este ano, após um crescimento de 4,7% em 2021, no que seria a maior contração desde meados da década de 1990.

Mas as previsões melhoraram desde então, à medida que a Rússia resiste às restrições.

O banco central russo previu em abril que o PIB encolheria de 8% a 10% em 2022, mas no mês passado revisou isso para uma contração de 4% a 6%.

"A contração do PIB atingirá seu ponto mais baixo no primeiro semestre de 2023", disse o vice-presidente do banco central, Alexei Zabotkin, nesta sexta-feira. "A economia se moverá em direção a um novo equilíbrio de longo prazo."

(Reportagem da Reuters)