Mercado fechado
  • BOVESPA

    109.717,94
    -517,82 (-0,47%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.460,55
    +652,34 (+1,36%)
     
  • PETROLEO CRU

    94,12
    +2,19 (+2,38%)
     
  • OURO

    1.804,80
    -8,90 (-0,49%)
     
  • BTC-USD

    24.183,66
    +435,62 (+1,83%)
     
  • CMC Crypto 200

    573,13
    -1,61 (-0,28%)
     
  • S&P500

    4.207,27
    -2,97 (-0,07%)
     
  • DOW JONES

    33.336,67
    +27,16 (+0,08%)
     
  • FTSE

    7.465,91
    -41,20 (-0,55%)
     
  • HANG SENG

    20.082,43
    +471,59 (+2,40%)
     
  • NIKKEI

    27.819,33
    -180,63 (-0,65%)
     
  • NASDAQ

    13.338,75
    -53,25 (-0,40%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,3290
    +0,0826 (+1,57%)
     

Economia dos EUA está desacelerando, mas recessão não é inevitável, diz Yellen

Supermercado em Nova York

WASHINGTON (Reuters) - A secretária do Tesouro dos Estados Unidos, Janet Yellen, disse no domingo que o crescimento econômico dos EUA está desacelerando e reconheceu o risco de uma recessão, mas afirmou que uma retração não é inevitável.

Yellen, falando no programa "Meet the Press" da NBC, disse que números fortes de contratações e de gastos dos consumidores mostraram que a economia dos EUA não está atualmente em recessão.

As contratações nos EUA permaneceram robustas em junho, com 372.000 empregos criados e a taxa de desemprego mantendo-se em 3,6%. Foi o quarto mês consecutivo de abertura de vagas acima de 350.000.

"Esta não é uma economia que está em recessão", disse Yellen. "Mas estamos em um período de transição em que o crescimento está desacelerando e isso é necessário e apropriado"

Ainda assim, dados da semana passada sugeriram que o mercado de trabalho estava enfraquecendo, com os novos pedidos de auxílio-desemprego atingindo seu ponto mais alto em oito meses.

Yellen disse que a inflação "está muito alta" e que as recentes altas de juros pelo Federal Reserve estão ajudando a controlar o aumento dos preços.

Yellen, que já comandou o Fed, espera que o banco central norte-americano possa esfriar a economia o suficiente para baixar os preços sem desencadear uma ampla contração econômica.

"Não estou dizendo que definitivamente evitaremos uma recessão", disse Yellen. "Mas acho que há uma trajetória que mantém o mercado de trabalho forte e reduz a inflação."

(Reportagem de Joel Schectman e David Lawder)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos