Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.334,83
    +299,66 (+0,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.784,58
    +191,67 (+0,43%)
     
  • PETROLEO CRU

    59,62
    -1,02 (-1,68%)
     
  • OURO

    1.710,80
    -12,20 (-0,71%)
     
  • BTC-USD

    49.597,36
    +3.175,48 (+6,84%)
     
  • CMC Crypto 200

    992,42
    +64,18 (+6,91%)
     
  • S&P500

    3.901,82
    +90,67 (+2,38%)
     
  • DOW JONES

    31.535,51
    +603,14 (+1,95%)
     
  • FTSE

    6.588,53
    +105,10 (+1,62%)
     
  • HANG SENG

    29.463,13
    +10,56 (+0,04%)
     
  • NIKKEI

    29.554,75
    -108,75 (-0,37%)
     
  • NASDAQ

    13.251,75
    -28,00 (-0,21%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7888
    -0,0068 (-0,10%)
     

Economia desacelera em janeiro e BofA vê 1º tri ainda mais fraco

·1 minuto de leitura
Produção de álcool em gel em fábrica de Vinhedo, SP

SÃO PAULO (Reuters) - Um indicador do Bank of America que acompanha o ritmo da atividade econômica do Brasil desacelerou em janeiro, dando sequência a sinais de fraqueza observados já em dezembro e levando a expectativa de queda ainda mais forte do PIB neste primeiro trimestre.

O "tracker" do banco privado caiu a 1,39 ponto em janeiro, de 1,59 ponto em dezembro, com o fim do auxílio emergencial e a segunda onda de Covid-19.

Assim, o BofA passou a esperar contração de 2,0% do Produto Interno Bruto (PIB) no período entre janeiro e março sobre o último trimestre de 2020. Antes, a expectativa era de retração de 1,0%. Para 2021, o BofA projeta crescimento de 3,0% do PIB.

"A segunda onda de Covid que começou em dezembro e se estendeu até janeiro trouxe mais restrições de mobilidade e aumenta o risco de um crescimento mais fraco do PIB no primeiro trimestre. Um programa de ajuda do governo é provável, mas muito mais limitado em comparação com o de 2020", disseram Ana Madeira, David Beker e Kenneth Tsu no documento.

(Por José de Castro)