Mercado fechado

Economia da Santa Sé melhora, mas sofre com descapitalização

O responsável pela economia do Vaticano apresentou nesta sexta-feira (5) o balanço do ano de 2021, no qual reconhece que a situação da Santa Sé melhorou, embora o futuro seja incerto devido à descapitalização.

Para o prefeito da Secretaria da Economia, o religioso espanhol Juan Antonio Guerrero, a Santa Sé apresenta um déficit de três milhões de euros, ante os 33 milhões que eram esperados.

Um resultado que ele considera "positivo", mas que não resolve outros problemas mais profundos.

"O fato é que a Santa Sé reduz todos os anos o seu patrimônio para cobrir os serviços da Cúria Romana [o governo central] (...). A Santa Sé despatrimonializa anualmente uma média de 20-25 milhões de euros", explicou o jesuíta.

"A missão do papa não é suficientemente financiada, é um problema eclesial", acrescentou.

"Não buscamos um superávit, mas a sustentabilidade do serviço da Santa Sé. Um déficit de três milhões de euros em um orçamento de 1,1 bilhão não é tanto, é praticamente equilibrado, e não parece um número com o qual se preocupar. Mas se fizermos um detalhamento, há algumas áreas que precisam ser melhoradas", alertou.

Guerrero, uma espécie de ministro da Economia desde 2019, é um grande defensor da "transparência" nas contas da Igreja, uma das prioridades do papa Francisco.

"Demos muitos passos na direção certa da transparência, da tutela econômica da Santa Sé e da sustentabilidade", disse ele.

"Foram introduzidos procedimentos para nos proteger, realizamos a venda do Palácio de Londres de forma transparente e tranquila, seguindo os procedimentos corretos (...) a abolição do sigilo sobre questões econômicas nos tornou mais transparentes. Estamos no caminho", garantiu.

O religioso se referiu assim ao recente escândalo por fraude, peculato, abuso de poder, lavagem de dinheiro, corrupção e extorsão com dezenas de pessoas julgadas, inclusive um cardeal, pela compra de um prédio de luxo em Londres como parte dos investimentos da Santa Sé.

O Vaticano anunciou em julho passado que havia finalizado a venda dessa propriedade, recebendo cerca de 186 milhões de libras (223 milhões de dólares).

kv/pc/mr

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos