Mercado fechado
  • BOVESPA

    126.003,86
    +951,08 (+0,76%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.897,79
    +629,34 (+1,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,17
    +0,10 (+0,14%)
     
  • OURO

    1.798,00
    -3,80 (-0,21%)
     
  • BTC-USD

    38.117,45
    +3.731,39 (+10,85%)
     
  • CMC Crypto 200

    905,35
    -10,14 (-1,11%)
     
  • S&P500

    4.422,30
    +10,51 (+0,24%)
     
  • DOW JONES

    35.144,31
    +82,76 (+0,24%)
     
  • FTSE

    7.025,43
    -2,15 (-0,03%)
     
  • HANG SENG

    26.192,32
    -1.129,66 (-4,13%)
     
  • NIKKEI

    27.833,29
    +285,29 (+1,04%)
     
  • NASDAQ

    15.118,50
    +20,50 (+0,14%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1105
    -0,0111 (-0,18%)
     

Economia da França cresceu 1% no 2º tri com flexibilização das restrições da Covid, diz BC francês

·1 minuto de leitura
Centro de vacinação contra Covid-19 em Paris

PARIS (Reuters) - A economia da França provavelmente cresceu mais rápido do que o esperado no segundo trimestre graças a uma recuperação do setor de serviços conforme as medidas de combate ao coronavírus são flexibilizadas, disse o banco central francês nesta quarta-feira.

A segunda maior economia da zona do euro cresceu cerca de 1% no segundo trimestre em relação aos três meses anteriores, acima de uma estimativa anterior de meio ponto percentual, informou o banco central.

O governo encerrou o terceiro lockdown nacional da França em meados de maio e desde então tem flexibilizado gradualmente outras restrições.

A economia chegou a operar a 98% dos níveis pré-crise em junho e julho, ante 96% em maio, disse o banco central em nota acompanhada de sua pesquisa mensal com 8.500 empresas.

A pesquisa mostrou que 47% das industrias estavam enfrentando problemas na cadeia de abastecimento em junho, ante 44% em maio, enquanto no setor automotivo, o número atingiu 80%.

Enquanto isso, 44% das empresas consultadas disseram estar enfrentando problemas para recrutar trabalhadores o suficiente em junho, ante 37% em maio. O número chega a 50% no setor de construção e 47% no de serviços.

(Por Leigh Thomas)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos