Mercado abrirá em 5 h 34 min

Economia chinesa se recupera, mas ainda sofre por crise imobiliária

Porto na província chinesa de Shandong

Por Kevin Yao e Ellen Zhang

PEQUIM (Reuters) - A economia da China mostrou uma resiliência surpreendente em agosto, com um crescimento maior do que o esperado na produção industrial e nas vendas no varejo, reforçando uma recuperação frágil, mas uma queda cada vez maior do setor imobiliário prejudicou as perspectivas.

Os números mostram que a segunda maior economia do mundo está ganhando força, depois de escapar por pouco de uma contração no trimestre de junho e elevar marginalmente as perspectivas de recuperação para o resto do ano.

A produção industrial cresceu 4,2% em agosto em relação ao mesmo mês do ano anterior, maior alta desde março, segundo o escritório nacional de estatísticas. Isso superou um aumento de 3,8% esperado por analistas em uma pesquisa da Reuters e a expansão de 3,8% em julho.

As vendas no varejo subiram 5,4% em relação ao ano anterior, maior alta em seis meses e também superando as projeções de crescimento de 3,5% e o ganho de 2,7% em julho.

"Isso se deve a uma base de comparação mais baixa --a onda Delta estava pesando sobre a atividade econômica em agosto de 2021", disse Julian Evans-Pritchard, economista chinês da Capital Economics.

Embora os dados otimistas amenizem um pouco da melancolia que paira sobre a lenta recuperação, que foi obscurecida por dados comerciais fracos e crescimento lento do crédito, Evans-Pritchard não espera que a força se sustente em setembro.

"E embora a atual onda de vírus possa ter atingido o pico, a atividade deve permanecer fraca nos próximos meses em meio ao aprofundamento da desaceleração imobiliária, à diminuição das exportações e às interrupções recorrentes da Covid-19", disse ele.

A indústria automobilística foi um grande impulsor tanto da produção industrial quanto das vendas no varejo, com a produção de veículos guiados por novas fontes de energia crescendo 117%, auxiliada por incentivos governamentais para carros mais limpos.

No entanto, interrupções em várias refinarias de petróleo estaduais e instalações independentes e margens de redução mantiveram a produção de petróleo perto dos menores níveis em dois anos. A produção diária de carvão também caiu para o menor nível em três meses.