Mercado fechado
  • BOVESPA

    122.038,11
    +2.117,50 (+1,77%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.249,02
    +314,11 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,82
    +0,11 (+0,17%)
     
  • OURO

    1.832,00
    +16,30 (+0,90%)
     
  • BTC-USD

    57.571,77
    -685,37 (-1,18%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.480,07
    +44,28 (+3,08%)
     
  • S&P500

    4.232,60
    +30,98 (+0,74%)
     
  • DOW JONES

    34.777,76
    +229,23 (+0,66%)
     
  • FTSE

    7.129,71
    +53,54 (+0,76%)
     
  • HANG SENG

    28.610,65
    -26,81 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    29.357,82
    +26,45 (+0,09%)
     
  • NASDAQ

    13.715,50
    +117,75 (+0,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3651
    -0,0015 (-0,02%)
     

Economia chilena crescerá 6% este ano acompanhando preço do cobre, diz governo

·1 minuto de leitura
Fábrica de cátodos de cobre, em Tierra Amarilla, Atacama, Chile

SANTIAGO (Reuters) - O Chile, maior produtor mundial de cobre, irá se beneficiar da forte recuperação global dos preços do metal, o que levará a economia a apresentar uma expansão maior do que inicialmente projetada, estimou o governo nesta terça-feira.

Em apresentação do relatório de Finanças Públicas a uma comissão do Senado, o governo projetou que o Produto Interno Bruto (PIB) crescerá 6% neste ano, ante estimativa anterior de 5%.

O ministro da Fazenda, Rodrigo Cerda, disse em sua apresentação que entre os fatores que também contribuirão para um melhor desempenho está a expectativa de recuperação mais rápida da economia mundial e de maiores investimentos.

"Esses 6% para o ano de 2021 estão na parte inferior da faixa do banco central, mas isso nos permite uma atualização gradativa à medida que tivermos melhores notícias", explicou a autoridade.

A projeção está no extremo inferior do intervalo de expansão projetado em março pelo banco central, entre 6% e 7%.

A regra fiscal do Chile prevê que as receitas extraordinárias com aumentos no preço do cobre sejam destinadas à poupança soberana do país para uso em tempos de crise.

"O que decidimos este ano é que vamos usar essa receita e vamos financiar despesas maiores", acrescentou.

Já a inflação fecharia em 3,4% - em linha com o banco central - e acima da estimativa anterior de 3,0%.

A demanda doméstica cresceria 10,7% neste ano, enquanto o preço do cobre - maior produto de exportação do país - ficaria em média a 3,99 dólares por libra.

Além disso, projeta-se para 2021 um déficit fiscal efetivo de 3,8% do PIB, enquanto o déficit estrutural atingirá 6%.

(Por Fabián Andrés Cambero)