Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.880,82
    +1.174,91 (+0,97%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.219,26
    +389,95 (+0,80%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,51
    +1,69 (+2,65%)
     
  • OURO

    1.844,00
    +20,00 (+1,10%)
     
  • BTC-USD

    50.323,46
    +714,66 (+1,44%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,33
    +39,77 (+2,93%)
     
  • S&P500

    4.173,85
    +61,35 (+1,49%)
     
  • DOW JONES

    34.382,13
    +360,68 (+1,06%)
     
  • FTSE

    7.043,61
    +80,28 (+1,15%)
     
  • HANG SENG

    28.027,57
    +308,90 (+1,11%)
     
  • NIKKEI

    28.084,47
    +636,46 (+2,32%)
     
  • NASDAQ

    13.398,00
    +297,75 (+2,27%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4040
    -0,0085 (-0,13%)
     

Economia do Canadá avança 4,5% em maio

·1 minuto de leitura
Esta imagem de arquivo, de novembro de 2017, mostra bandeira do Canadá em alojamento para esquiadores em Lake Louise, Alberta

A economia canadense se recuperou em maio, com crescimento de 4,5%, informou o governo na sexta-feira, após dois meses de quedas acentuadas devido a restrições decorrentes da nova pandemia de coronavírus.

Segundo o instituto oficial de estatística, essa recuperação pode continuar em junho, mês para o qual prevê crescimento de 5%.

No entanto, para o segundo trimestre, estima-se um declínio acentuado. A atividade econômica "permanece 15% abaixo dos níveis pré-epidêmicos de fevereiro", afirmou o escritório de estatística.

A crise da saúde e as medidas aplicadas para conter o vírus causaram uma contração na economia do país norte-americano em março e abril, com quedas históricas no PIB de 7,5% e 11,7%, respectivamente.

O instituto de estatística disse que os dados apontam para uma perda de cerca de 12% do PIB real no segundo trimestre de 2020, em comparação com o primeiro trimestre.

Benoit Durocher, economista do Banque Desjardins, disse que a taxa trimestral anualizada equivale a uma queda de 40%, um indicador ainda pior do que a contração de 32,9% nos Estados Unidos.

Para Royce Mendes, economista do banco CIBC, o dano foi maior na economia canadense porque as autoridades impuseram restrições mais cedo e as mantiveram por mais tempo do que nos Estados Unidos.

A produção em maio aumentou em vários setores, incluindo manufatura, comércio, construção e hospitalidade.