Mercado abrirá em 8 h 43 min
  • BOVESPA

    106.924,18
    +1.236,18 (+1,17%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.579,90
    +270,60 (+0,55%)
     
  • PETROLEO CRU

    109,05
    -1,44 (-1,30%)
     
  • OURO

    1.807,60
    -0,60 (-0,03%)
     
  • BTC-USD

    30.262,58
    +513,93 (+1,73%)
     
  • CMC Crypto 200

    679,64
    -1,47 (-0,22%)
     
  • S&P500

    4.023,89
    +93,81 (+2,39%)
     
  • DOW JONES

    32.196,66
    +466,36 (+1,47%)
     
  • FTSE

    7.418,15
    +184,81 (+2,55%)
     
  • HANG SENG

    19.825,12
    -73,65 (-0,37%)
     
  • NIKKEI

    26.566,54
    +138,89 (+0,53%)
     
  • NASDAQ

    12.291,25
    -91,50 (-0,74%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2492
    -0,0099 (-0,19%)
     

Economia britânica patina; consumidores e empresas se preparam para desaceleração

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Supermercado em Londres
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Por Andy Bruce e William Schomberg

LONDRES (Reuters) - A economia do Reino Unido está perdendo força à medida que as famílias enfrentam um aperto no custo de vida, de acordo com dados publicados nesta sexta-feira que mostraram queda nas vendas no varejo e a confiança do consumidor perto de mínimas recordes.

A libra caiu mais de um centavo para abaixo de 1,29 dólar pela primeira vez desde novembro de 2020, depois que dados oficiais e pesquisas de consumidores e empresas apontaram uma forte desaceleração do crescimento, ou pior, nos próximos meses.

Um indicador bastante observado da atividade de negócios da S&P Global apontou que o crescimento desacelerou mais do que o esperado neste mês, conforme as empresas sofrem com custos crescentes e ficam muito mais sombrias em relação às perspectivas.

Dados oficiais mostraram que os volumes de vendas no varejo caíram 1,4% em março ante fevereiro, uma leitura pior do que qualquer economista havia previsto em pesquisa da Reuters.

Mais cedo nesta sexta-feira, a empresa de pesquisa de mercado GfK disse que a confiança do consumidor caiu este mês para perto de seu nível mais baixo desde que os registros começaram há quase 50 anos.

No geral, os dados destacaram a crescente preocupação do Banco da Inglaterra sobre os desafios de enfraquecimento da demanda e inflação em uma máxima de 30 anos de 7%, que e provavelmente aumentará ainda mais além da meta de 2% do banco central.

O presidente do banco central, Andrew Bailey, disse na quinta-feira que o Banco da Inglaterra está caminhando em uma linha estreita entre combater a inflação e evitar a recessão, um desafio enfrentado por outros grandes bancos centrais em todo o mundo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos