Mercado fechado
  • BOVESPA

    98.672,26
    +591,91 (+0,60%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.741,50
    +1.083,62 (+2,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    107,06
    +2,79 (+2,68%)
     
  • OURO

    1.828,10
    -1,70 (-0,09%)
     
  • BTC-USD

    21.431,54
    +36,16 (+0,17%)
     
  • CMC Crypto 200

    462,12
    +8,22 (+1,81%)
     
  • S&P500

    3.911,74
    +116,01 (+3,06%)
     
  • DOW JONES

    31.500,68
    +823,32 (+2,68%)
     
  • FTSE

    7.208,81
    +188,36 (+2,68%)
     
  • HANG SENG

    21.719,06
    +445,19 (+2,09%)
     
  • NIKKEI

    26.491,97
    +320,72 (+1,23%)
     
  • NASDAQ

    12.132,75
    +395,25 (+3,37%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5524
    +0,0407 (+0,74%)
     

Economia brasileira cresce 1% no primeiro trimestre

A economia do Brasil cresceu 1% no primeiro trimestre de 2022 - ano marcado pela eleição presidencial - na comparação com os últimos três meses de 2021, anunciou nesta quinta-feira(2) o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

O resultado do PIB, impulsionado pelo setor de serviços, está de acordo com as expectativas do mercado.

O Brasil encerrou 2021 com um crescimento de 4,6% na comparação com ano anterior, marcado por uma queda de 3,9% devido ao impacto da pandemia.

O PIB do 1º trimestre avançou 1,7% na comparação com o mesmo período de 2021, o terceiro resultado positivo consecutivo, após uma revisão dos dados anteriores que registraram uma breve recessão entre o segundo e terceiro trimestres.

O Brasil registrou queda no setor agropecuário (-0,9%), estabilidade na indústria (0,1%) e recuperação nos serviços (1%), o maior da economia.

Mirella Hirakawa, economista da gestora de fundos independente AZ Quest, destacou à AFP a "contribuição significativa" do setor de serviços, responsável por "mais da metade" da expansão no primeiro trimestre.

O consumo das famílias, indicou o IBGE, aumentou (0,75%) ao mesmo tempo que o gasto do governo (0,1%), enquanto os investimentos caíram (-3,5%).

"O consumo das famílias acumula três trimestres de forte incremento, explicado pela reabertura da economia e medidas de impulso fiscal e fomento da atividade", como o Auxílio Brasil, um programa de ajudas sociais implementado recentemente pelo governo, destacou Hirawaka.

Para o conjunto do ano, o resultado esperado é de um crescimento de 1,4% do PIB, melhorando as projeções anteriores, de meados de maio, segundo a média das informações compiladas pelo jornal Valor.

No entanto, a última pesquisa Focus do Banco Central, realizada no início de maio, situou a expectativa de expansão de PIB em 0,7% para o final deste ano, no qual Bolsonaro buscará sua reeleição em uma disputa com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, favorito nas pesquisas.

- Inflação disparada -

A principal preocupação do governo é a inflação, que, impulsionada por fortes altas nos combustíveis acumulou 12,13% em doze meses até abril e é considerada o principal obstáculo para as ambições eleitorais da extrema-direita em outubro.

Para tentar frear a escalada de preços, o Banco Central tem aplicado altas em suas taxas de juros de referência, a Selic, desde março de 2021.

Após o último ajusto no início do mês de maio, a taxa alcançou 12,75%, seu recorde desde 2017.

Os economistas advertiram para o impacto das taxas na economia e as projeções de um menor crescimento do PIB este ano.

Diante deste panorama, analistas manifestaram suas preocupações sobre os empregos, que seguem se recuperando dos piores dias da pandemia.

A taxa de desemprego caiu para 10,5% entre fevereiro e abril, uma queda de 0,7 ponto percentual em relação ao trimestre de novembro de 2021 a janeiro de 2022, segundo dados oficiais divulgados na terça-feira.

No entanto, 11,3 milhões de pessoas seguem sem emprego no país de 213 milhões de habitantes.

msi-mls/app/jc

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos