Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.316,16
    -1.861,39 (-1,63%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.774,91
    -389,10 (-0,71%)
     
  • PETROLEO CRU

    79,38
    -1,63 (-2,01%)
     
  • OURO

    1.927,60
    -2,40 (-0,12%)
     
  • BTC-USD

    22.961,00
    +26,53 (+0,12%)
     
  • CMC Crypto 200

    526,66
    +9,65 (+1,87%)
     
  • S&P500

    4.070,56
    +10,13 (+0,25%)
     
  • DOW JONES

    33.978,08
    +28,67 (+0,08%)
     
  • FTSE

    7.765,15
    +4,04 (+0,05%)
     
  • HANG SENG

    22.688,90
    +122,12 (+0,54%)
     
  • NIKKEI

    27.382,56
    +19,81 (+0,07%)
     
  • NASDAQ

    12.221,00
    +114,25 (+0,94%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5462
    +0,0265 (+0,48%)
     

Economia alemã está mais resiliente do que se esperava, diz BC alemão

Ilustração mostra gasoduto em frenta às bandeiras de Alemanha e Rússia

FRANKFURT (Reuters) - A economia da Alemanha está se mostrando mais resiliente do que o esperado, à medida que o estresse nos mercados de energia está diminuindo e os problemas na cadeia de suprimentos estão se dissipando lentamente, disse o banco central alemão nesta segunda-feira em um relatório econômico mensal.

Existe uma grande expectativa de que a Alemanha, que depende fortemente do gás russo, sofra uma recessão este ano, uma perspectiva que pesa sobre toda a zona do euro de 20 países.

"É possível que o crescimento do Produto Interno Bruto tenha estagnado por pouco no último trimestre de 2022, superando as expectativas anteriores", disse o Bundesbank. "Os dados divulgados recentemente foram melhores do que o esperado nas projeções de dezembro."

Os preços do gás natural no mercado caíram mais da metade desde o início de dezembro, uma vez que o consumo continua fraco devido às temperaturas amenas e a Europa tem obtido mais gás no mercado do que o esperado.

Os subsídios do governo para aliviar o impacto dos altos custos de energia para famílias e empresas também ajudaram a aumentar a confiança e o consumo, acrescentou o Bundesbank.

Dados do PIB no primeiro trimestre para a zona do euro serão divulgados em 31 de janeiro e, embora as projeções oficiais vejam uma pequena contração, economistas e autoridades têm argumentado recentemente que o número pode até ser positivo, sugerindo que mesmo que o crescimento seja fraco, uma recessão pode ser evitada.

(Reportagem de Balazs Koranyi)