Mercado fechado
  • BOVESPA

    120.294,68
    +997,55 (+0,84%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.329,84
    +826,13 (+1,74%)
     
  • PETROLEO CRU

    62,87
    -0,28 (-0,44%)
     
  • OURO

    1.734,80
    -1,50 (-0,09%)
     
  • BTC-USD

    62.933,04
    -425,38 (-0,67%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.367,84
    -7,94 (-0,58%)
     
  • S&P500

    4.124,66
    -16,93 (-0,41%)
     
  • DOW JONES

    33.730,89
    +53,62 (+0,16%)
     
  • FTSE

    6.939,58
    +49,09 (+0,71%)
     
  • HANG SENG

    28.747,38
    -153,45 (-0,53%)
     
  • NIKKEI

    29.730,32
    +109,33 (+0,37%)
     
  • NASDAQ

    13.793,00
    -5,75 (-0,04%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7743
    +0,0014 (+0,02%)
     

Ecommerce ganhou 13 milhões de novos clientes em 2020, diz Nielsen

SHEYLA SANTOS
·1 minuto de leitura

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O isolamento social provocado pela pandemia do novo coronavírus impulsionou as compras online no Brasil e atraiu 13 milhões de novos consumidores em 2020, aumento de 29% em relação a 2019. Segundo levantamento da consultoria Ebit|Nielsen, a região Norte foi a que mais ganhou novos consumidores, com crescimento de 4% em relação a 2019. De acordo com a pesquisa, enquanto o comércio digital despontava no ano passado, com redes de varejo intensificando operações online ou se adaptando à nova realidade virtual, 20% das lojas físícas do país fecharam as portas, principalmente, nas regiões Norte e Nordeste. A pesquisa também questionou os novos clientes digitais sobre sua experiência --83% dos que compraram pela primeira vez por meio da internet no ano passado disseram que voltariam a realizar compras desta forma, 69,5% afirmaram que promoveriam a marca com a qual fizeram a transação, enquanto 15,2% se disseram insatisfeitos. As principais reclamações foram problemas no prazo de entrega, seguidas por má qualidade do atendimento e dos produtos recebidos. O valor do frete, segundo o levantamento, é um fator decisivo para o cliente concluir uma compra. Para 15,7% dos clientes que pagaram acima de R$ 199,99 pelo envio dos produtos, a experiência de compra não foi satisfatória. Entre os clientes que obtiveram frete grátis, apenas 5,9% apresentaram queixas. De acordo com Keine Monteiro, responsável pela área de Inteligência da Ebit|Nielsen, o consumidor brasileiro dá grande importância ao preço do frete. Segundo ele, quanto mais caro for o preço de entrega do produto, maiores serão chances de reclamações do cliente.