Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.316,16
    -1.861,39 (-1,63%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.774,91
    -389,10 (-0,71%)
     
  • PETROLEO CRU

    79,38
    -1,63 (-2,01%)
     
  • OURO

    1.927,60
    -2,40 (-0,12%)
     
  • BTC-USD

    23.533,19
    +500,97 (+2,18%)
     
  • CMC Crypto 200

    526,66
    +9,65 (+1,87%)
     
  • S&P500

    4.070,56
    +10,13 (+0,25%)
     
  • DOW JONES

    33.978,08
    +28,67 (+0,08%)
     
  • FTSE

    7.765,15
    +4,04 (+0,05%)
     
  • HANG SENG

    22.688,90
    +122,12 (+0,54%)
     
  • NIKKEI

    27.382,56
    +19,81 (+0,07%)
     
  • NASDAQ

    12.221,00
    +114,25 (+0,94%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5462
    +0,0265 (+0,48%)
     

'É mais difícil levar educação financeira a pessoas negras', diz analista da XP

Acesso à educação financeira ainda não é uma realidade para a maioria dos brasileiros. Pesquisa realizada pela XP Investimentos, em parceria com o Instituto Locomotiva, mostra que 90% dos brasileiros dizem precisar ser educados financeiramente. Para Clara Sodré, Analista de Alocação e Fundos da XP Investimentos, o estudo reflete a realidade da maioria da população.

“A educação financeira não faz parte da vida do brasileiro. As pessoas crescem sem saber cuidar do próprio dinheiro”, afirma. Para a executiva, a população negra e periférica sofre ainda mais com a situação. “Quando a gente olha para as pessoas negras, existe não só a questão da falta de acesso a esse tipo de informação, mas o fato delas não se sentirem merecedoras de ter ali uma conta cheia, recheada”.

Mulher, negra e vinda de escola pública, a executiva sentiu na pele o problema estrutural que traz dificuldades adicionais para levar educação financeira até a população negra. “Há uma culpa em relação ao dinheiro. E na hora que esse dinheiro entra, vem uma coisa de ‘eu vou gastar tudo’. Não é assim”, explica.

O Índice de Saúde Financeira do Brasileiro (I-SFB) de 2021, estudo da Febraban , revela que 69% da população brasileira admite gastar o mesmo valor ou mais do que ganha.

Clara Sodré explica que, ao contrário do que muita gente imagina, não é necessário parar de gastar para ter uma vida financeira saudável. “Ao conhecer o potencial de transformação da educação financeira as pessoas entendem que, para investir, é preciso gastar. Mas com planejamento, organização, estratégia”.

“O desafiador é como levar para essa população um conteúdo tão complexo”, reflete a executiva. “A educação financeira passa pela matemática básica. É preciso codificar essa mensagem para que quem está recebendo consiga se sentir pertencente, se sinta motivado e se interesse pelo assunto”, afirma .

Até 2025, a XP Inc. quer alcançar a equidade de gênero em todos os níveis de hierarquia
Até 2025, a XP Inc. quer alcançar a equidade de gênero em todos os níveis de hierarquia

Diversidade e inclusão

Até 2025, a XP Inc. quer alcançar a equidade de gênero em todos os níveis de hierarquia e contar com 50% de mulheres como colaboradores da companhia. Além disso, nos próximos três anos a assessoria de investimentos pretende ampliar para 32% o número de pessoas negras em seu quadro de funcionários, sendo 23% delas em cargos de liderança.

Para isso, a empresa deve realizar um investimento de R$ 35 milhões, onde grande parte será direcionado para programas de formação com foco em tecnologia e no mercado financeiro. Com a ação, a XP quer impactar mais de 500 mil pessoas.

E investir em formação de qualidade foi uma das formas que a XP encontrou de contribuir para inclusão de mulheres negras no mercado de trabalho com foco na área de finanças. O programa “Vem Transformar” oferece treinamento para capacitar essas mulheres que desejam fazer carreira na área de assessoria de investimentos.

Para se candidatar, não é necessário ter experiências na área. “Só da pessoa ter uma habilidade que pode ser desenvolvida, uma boa comunicação, no mercado financeiro você utiliza todas essas expertises que a gente aprende na vida”, diz Clara Sodré, Analista de Alocação e Fundos da XP Investimentos

“O ‘Vem Transformar’ traz essa capacitação. Como o mercado de finanças é muito complexo, é necessário entender como funciona o sistema financeiro, os produtos de investimento”, conta a executiva. A segunda edição do projeto disponibiliza 100 vagas e a XP também arca os custos de certificação fundamentais para que as selecionadas atuem no setor.

“A profissão da assessoria passa muito pelo educacional. Então o programa vem com essa comunicação direta e direcionada para as mulheres negras, para mostrar que elas precisam estar aqui”, explica.

Para Clara Sodré, o programa oferece para as candidatas uma oportunidade de mudar de vida e também impactar a vida de outras pessoas. “Você não transforma só a vida das outras pessoas, você transforma a sua vida também. Você está ganhando dinheiro, repassando conhecimento, assessorando pessoas que estão perdendo dinheiro na poupança porque não sabem como investir”, finaliza.