Mercado fechado

E-commerce continua em alta, mesmo após abertura do varejo presencial

·2 min de leitura

O avanço da vacinação contra a covid-19 no Brasil permitiu a abertura das lojas físicas e o consequente reaquecimento do varejo presencial. Mesmo assim, indicadores de outubro do Relatório Setores do E-commerce, elaborado pela Conversion, mostram que os principais e-commerces brasileiros receberam 1,69 bilhão de acessos no período — um aumento de 1,58% em relação a setembro.

O levantamento aponta, ainda, que cada brasileiro acessou esses sites em média oito vezes no mês. Os canais preferidos para chegar às lojas são diretos (quando o endereço é inserido no navegador), com 43,3% dos acessos, busca orgânica do Google (28,1%) e busca paga (19,3%). Tráfego de redes sociais somam 3,1%.

Imagem: Reprodução/Pixabay
Imagem: Reprodução/Pixabay

Diego Ivo, CEO da Conversion, diz que o crescimento em outubro indica que o e-commerce não representa uma mera alternativa ao varejo físico. “Houve uma mudança mais profunda de comportamento do consumidor”, explica.

A pesquisa observa retomada do turismo (com alta de 9,36%), bem como dos setores pet (7,47%), moda & acessórios (4,06%), cosméticos (3,42%), ferramentas & acessórios (3,03%) e farmácia & saúde (2,04%). Entre os segmentos que tiveram retração estão educação, livros & papelaria com -2,89%, presentes & flores com -2,38%, casa & móveis com -2,25%, itens automotivos com -1,37% e calçados com -0,82%.

Maiores e-commerces do Brasil

O ranking dos principais e-commerces do país apresentado no Relatório Setores do E-commerce no Brasil é dividido em geral e por categoria. No geral, a lista tem: Mercado Livre (30%), Americanas.com (14%), Magazine Luiza (13%), Amazon Brasil (11%), Casas Bahia (9%), Shopee (7%), AliExpress (6%) e outros (10%).

Já a busca de uma marca na categoria de consumo em que ela atua mostra que muitos segmentos são dominados por uma ou duas empresas. Alguns exemplos incluem: pet, com Petz (44%) e Cobasi (35%), e joias e relógios, com Vivara (34%) e Pandora (32%).

Black Friday 2021

A pesquisa questionou os entrevistados para saber quais são as expectativas do consumidor para a Black Friday 2021. Entre os entrevistados, 76,5% fizeram alguma compra na Black Friday do ano passado. Em 2021, 87,75% pretendem aproveitar a data para adquirir algum item, um aumento de 14,7% na intenção de compra.

Imagem: Reprodução/Elements/seventyfourimages
Imagem: Reprodução/Elements/seventyfourimages

A data, em 2021, cai em 26 de novembro, a última sexta-feira do mês. Os líderes na intenção de compra são celulares, eletrônicos & eletrodomésticos, e moda & acessórios.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos