Mercado fechado
  • BOVESPA

    102.224,26
    -3.586,99 (-3,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.492,52
    -1.132,48 (-2,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,15
    -10,24 (-13,06%)
     
  • OURO

    1.788,10
    +1,20 (+0,07%)
     
  • BTC-USD

    54.180,79
    -375,53 (-0,69%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.365,60
    -89,82 (-6,17%)
     
  • S&P500

    4.594,62
    -106,84 (-2,27%)
     
  • DOW JONES

    34.899,34
    -905,04 (-2,53%)
     
  • FTSE

    7.044,03
    -266,34 (-3,64%)
     
  • HANG SENG

    24.080,52
    -659,64 (-2,67%)
     
  • NIKKEI

    28.751,62
    -747,66 (-2,53%)
     
  • NASDAQ

    16.051,00
    -315,00 (-1,92%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3485
    +0,1103 (+1,77%)
     

E-commerce brasileiro tem alta de 21,92% em outubro na comparação com 2020

·2 min de leitura

Com crescimento de 21,92% no faturamento e 19,03% nas vendas, outubro de 2021 foi melhor para o e-commerce brasileiro que outubro de 2020. O levantamento é da Neotrust | Movimento Compre & Confie, em parceria com o Comitê de Métricas da Câmara Brasileira da Economia Digital (camara-e.net), que desenvolve o índice MCC-ENET, que acompanha a evolução dos preços do varejo online brasileiro.

Gastão Mattos, responsável pela divisão de varejo online da camara-e.net, diz que as compras online no varejo atingiram, na média de 2021, o maior índice do histórico desde 2018. Em 2020, o índice médio tinha alcançado o valor recorde de 9,6% — em 2019 foi de 5,7% e, em 2018, quando começou a ser medido, de 4,8%. “Já entre janeiro e setembro 2021, atingiu 12%, evidenciando que as compras online vieram para ficar no hábito de consumo do brasileiro", afirma.

Na comparação regional entre outubro de 2021 e de 2020, a região Norte tem o maior índice de vendas (32,33%), seguida por Nordeste (28,61%), Centro-Oeste (28,50%), Sul (21,99%) e Sudeste (15,03%). Já no acumulado do ano, o Centro-Oeste está na frente (27,78%). Em seguida, vêm Norte (25,98%), Nordeste (22,28%), Sul (19,95%) e Sudeste (4,90%).

(Imagem: Reprodução/Envato/twenty20photos)
(Imagem: Reprodução/Envato/twenty20photos)

A composição do faturamento do mês por região mostra Norte (32,63%) na frente, com Nordeste (31,44%), Centro-Oeste (28,66%), Sul (21,05%) e Sudeste (18,35%) depois. No ano, os resultados têm Centro-Oeste na frente (33,30%), seguido por Sul (29,67%) Nordeste (27,68%) Norte (24,61%) e Sudeste (11,67%).

Em setembro de 2021, o e-commerce representou 12,2% do comércio varejista restrito (que exclui veículos, peças e materiais de construção). Nos últimos 12 meses, a participação foi de 11,5%. A base é a mais recente Pesquisa Mensal do Comércio do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgada em 11 de novembro.

Categorias mais populares

No trimestre de julho a setembro de 2021, 16,7% dos brasileiros fizeram ao menos uma compra online segundo o MCC-ENET. Os dados da Pesquisa Mensal do Comércio do IBGE mostram que, em setembro 2021, os itens mais comprados pela internet foram equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação (43,8%), móveis e eletrodomésticos (27,7%), e tecidos, vestuário e calçados (10,1%).

Em seguida, vêm artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (6,7%), e outros artigos de usos pessoal e doméstico (5,7%). Já hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (3,8%), e livros, jornais, revistas e papelaria (2,3%) foram os menos populares no período.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos