Mercado abrirá em 10 mins
  • BOVESPA

    117.197,82
    +967,82 (+0,83%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.845,83
    -200,77 (-0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    87,84
    +0,08 (+0,09%)
     
  • OURO

    1.724,60
    +3,80 (+0,22%)
     
  • BTC-USD

    20.268,78
    +224,85 (+1,12%)
     
  • CMC Crypto 200

    461,00
    +2,59 (+0,57%)
     
  • S&P500

    3.783,28
    -7,65 (-0,20%)
     
  • DOW JONES

    30.273,87
    -42,43 (-0,14%)
     
  • FTSE

    6.999,53
    -53,09 (-0,75%)
     
  • HANG SENG

    18.012,15
    -75,82 (-0,42%)
     
  • NIKKEI

    27.311,30
    +190,80 (+0,70%)
     
  • NASDAQ

    11.646,75
    +23,00 (+0,20%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1301
    -0,0061 (-0,12%)
     

Dynamic Island no Android? Realme e Redmi podem copiar recurso do iPhone

Redmi e Realme começaram a travar uma batalha para ver qual empresa será a primeira a levar o Dynamic Island para o Android. O recurso foi lançado pela Apple exclusivamente para o iPhone 14 Pro e iPhone 14 Pro Max para aproveitar o recorte de câmera e os alto-falantes, que geralmente apenas atrapalhavam a tela.

A informação não é oficial e foi compartilhada pelo canal EqualLeaks no Telegram. Ao que parece, ambas as empresas corretem contra tempo para fabricar celulares compatíveis com o recurso. Muitas empresas decidiram fazer notchs (nome daquela região superior onde fica a câmera, sensores e alto-falantes) mais enxutos para ocupar menos espaço do display.

Se isso for verdade, é possível que os celulares Android voltem a abusar de espaços maiores, afinal eles seriam ocupados por notificações e outros recursos visuais integrados. Redmi e Realme costumam fabricar aparelhos mais intermediários, logo o recurso poderia ser implementado via software sem muita dificuldade, ao contrário do que acontece com os iPhones da Maçã.

A Realme pode estar trabalhando na "realme Island" para dar multifunções ao recorte da câmera na tela. A ideia seria dar diferentes formas e tamanhos para exibir desde chamadas telefônicas até alertas, notificações e funcionalidades integradas.

Já a Redmi vai na mesma linha da concorrente, mas não pretende ser tão ampla. O Redmi K60 poderia ser o primeiro (e único até o momento) aparelho a receber a "Smart Island". Ainda não está claro o que esperar, mas é bem provável que as ideias da Apple sejam replicadas.

Dynamic Island virá para o Android?

Se as gigantes chinesas realmente estão dispostas a brigar nesse mercado, provavelmente outras empresas ocidentais podem ir mesmo caminho no futuro. A parte interessante é que o Android é um sistema mutável e altamente ajustável pelos desenvolvedores, logo basta que um implemente a "ilha dinâmica" para os rivais copiarem a funcionalidade, dando seus toques próprios de design.

Resta saber se o usuário está a fim de ter essa solução copiada da Apple. O notch ampliado significa menos espaço de tela para visualizar vídeos ou executar jogos, o que pode ser algo negativo para muita gente.

É provável que as primeiras versões sejam exclusivas de consumidores da China e da Índia, dois dos maiores mercados do planeta, para ver como será a recepção. Se houver elevada demanda, possivelmente outros fabricantes tentem entregar uma ilha dinâmica em 2023.

Na semana passada, um usuário criou um tema para a MIUI 13 que simula o efeito nos aparelhos da Xiaomi. O "Grumpy UI" está em desenvolvimento e possui suporte apenas ao idioma chinês, mas fez muito sucesso por levar a "ilha dinâmica" para celulares comuns.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: