Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.789,33
    +556,59 (+0,51%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.464,03
    +900,05 (+1,78%)
     
  • PETROLEO CRU

    113,77
    +1,37 (+1,22%)
     
  • OURO

    1.812,40
    -6,50 (-0,36%)
     
  • BTC-USD

    30.451,84
    +550,46 (+1,84%)
     
  • CMC Crypto 200

    677,94
    +435,26 (+179,36%)
     
  • S&P500

    4.088,85
    +80,84 (+2,02%)
     
  • DOW JONES

    32.654,59
    +431,17 (+1,34%)
     
  • FTSE

    7.518,35
    +53,55 (+0,72%)
     
  • HANG SENG

    20.602,52
    +652,31 (+3,27%)
     
  • NIKKEI

    26.659,75
    +112,70 (+0,42%)
     
  • NASDAQ

    12.568,50
    +8,25 (+0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2110
    +0,0006 (+0,01%)
     

Dupla recebeu US$ 23 milhões com fraudes em sistema de copyright do YouTube

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·3 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Um esquema fraudulento que abusava do Content ID, o sistema de proteção a direitos autorais do YouTube, gerou lucros de mais de US$ 23 milhões a uma dupla de criminosos nos EUA. Os ganhos foram obtidos ao longo de um período de cerca de quatro anos, quando os homens usaram empresas falsas para assumirem irregularmente a propriedade de mais de 50 mil músicas na plataforma, recebendo os ganhos oriundos da publicação de vídeos.

Webster Batista Fernandez e Jose Teran se declararam culpados das acusações de fraude e formação de quadrilha, pela criação de uma organização fraudulenta chamada MediaMuv, que empregava outras cinco pessoas e visava vídeos de artistas latinos, principalmente independentes ou pouco conhecidos, para desviar o dinheiro dos vídeos que poderiam ser protegidos por direitos autorais. Eles usaram documentos falsos para se registrarem junto ao YouTube como uma empresa de gerenciamento de copyright, apta a realizar esse tipo de pedido.

A dupla utilizava um software para analisar publicações no YouTube e encontrar vídeos originais de cantores e bandas não monetizados. Então, eles baixavam as canções e as enviavam ao YouTube como se representassem os artistas, fazendo com que o sistema automatizado da plataforma, automaticamente, identificasse todas as postagens com as obras, revertendo valores de anúncios para os criminosos. Os autores e gravadoras originais não recebiam nada, enquanto a empresa falsa da dupla recebia todos os valores pagos pelo YouTube.

Fernandez e Teran foram presos em dezembro de 2021, depois que autoridades americanas desbaratinaram o esquema. Eles estavam sujeitos a 30 acusações, que envolviam também roubo de identidade e lavagem de dinheiro; eles chegaram a um acordo com a justiça dos EUA, assumindo a culpa pelos crimes de fraude e formação de quadrilha em troca do arquivamento do restante do processo. Caso sejam condenados às penas máximas, eles podem pegar até 25 anos de prisão, além de estarem sujeitos ao pagamento de multas a partir de US$ 500 mil e, também, até US$ 25 milhões em restituições aos lesados pelo esquema fraudulento.

A dupla compareceu diante do júri na última sexta-feira (22), quando também foram exibidas provas dos lucros obtidos por eles, na forma de postagens nas redes sociais esbanjando carrões, bebidas e mansões. De acordo com a justiça dos EUA, a prisão de Fernandez e Teran também envolveu o bloqueio de contas bancárias com mais de US$ 1 milhão, um Tesla e uma BMW, além de escrituras de uma casa e um terreno no estado do Arizona, que podem ser liquidados caso os acusados não tenham fundos para pagar as multas e restituições.

Automatizado, o uso fraudulento do Content ID, assim como eventuais identificações equivocadas de conteúdo de acordo com as normas de direitos autorais, é uma reclamação constante de criadores de conteúdo no YouTube. A empresa não se pronunciou sobre o acordo dos golpistas junto à justiça americana.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos