Mercado fechará em 6 h 19 min
  • BOVESPA

    109.068,55
    -1.120,02 (-1,02%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.725,96
    -294,69 (-0,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,76
    +1,75 (+2,43%)
     
  • OURO

    1.797,20
    -0,80 (-0,04%)
     
  • BTC-USD

    16.850,34
    +52,87 (+0,31%)
     
  • CMC Crypto 200

    396,11
    -5,93 (-1,47%)
     
  • S&P500

    3.933,92
    -7,34 (-0,19%)
     
  • DOW JONES

    33.597,92
    +1,58 (+0,00%)
     
  • FTSE

    7.486,23
    -2,96 (-0,04%)
     
  • HANG SENG

    19.450,23
    +635,41 (+3,38%)
     
  • NIKKEI

    27.574,43
    -111,97 (-0,40%)
     
  • NASDAQ

    11.534,50
    +25,00 (+0,22%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5065
    +0,0401 (+0,73%)
     

Duke Energy contrata bancos para vender ativos no Brasil e América Latina

SÃO PAULO (Reuters) - A elétrica Duke Energy Brasil informou que sua matriz nos Estados Unidos anunciou a contratação dos bancos JP Morgan e Credit Suisse para prestar serviços de consultoria na venda de seus negócios internacionais, que representam 4,4 gigawatts em capacidade de geração --metade desta no Brasil, segundo comunicado enviado à Reuters nesta segunda-feira. Na nota, a Duke Energy Brasil disse que "a empresa busca simplificar seu mix de negócios e focar no crescimento dentro dos Estados Unidos". A companhia disse que todo o processo de venda é conduzido nos EUA e "deve levar alguns meses". "No momento, nenhuma oferta foi feita ou solicitada e não há qualquer cronograma específico para uma potencial transação", afirmou a Duke. No Brasil, a companhia opera oito hidrelétricas no rio Paranapanema e mais duas pequenas hidrelétricas, em um total de 2,27 gigawatts em capacidade instalada. A companhia tem cerca de 300 empregados no país. A Duke Energy Corp já havia informado no início do mês que poderia vender a totalidade ou parte de seus negócios no Brasil. A Duke Energy Internacional possui ainda operações de geração e comercialização de energia em Argentina, Chile, Equador, El Salvador, Guatemala e Peru, sendo que dois terços dos ativos são usinas hidrelétricas. A unidade da companhia no Brasil registrou um lucro líquido de 65,2 milhões de reais no terceiro trimestre de 2015, com receita líquida de 305,2 milhões de reais. (Por Luciano Costa)