Mercado fechado

Duas em cada cinco pessoas trabalham em um ambiente de home office inadequado

·2 minutos de leitura
Foto: Getty Images
Foto: Getty Images

Com a crise do coronavírus, duas a cada cinco pessoas estão trabalhando em um ambiente de home office inadequado, recorrendo a postos de trabalho improvisados na mesa de jantar, no sofá e até na cama.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

Apenas um em cada quatro dos 2.200 adultos entrevistados pelo Institute of Workplace and Facilities Management (IWFM) afirmou ter um escritório em casa.

Leia também

Metade dos entrevistados relatou dificuldade em manter a motivação e a concentração ao trabalhar em casa, e quase o mesmo número de pessoas citou a questão das distrações.

A pesquisa também revelou que o home office dificultou separar o trabalho da vida pessoal. Muitos acham difícil desligar no fim do dia ou se sentem pressionados para atender a chamadas ou responder a e-mails fora do horário comercial.

Quase um terço das pessoas disse que gostaria de receber mais apoio do empregador, como a disponibilização de cadeiras, mesas de escritório e monitores. Quase o mesmo número de entrevistados mencionou que gostaria de receber um melhor suporte de TI.

Chris Moriarty, da IWFM, disse: “Com o relaxamento das medidas de isolamento, a atenção do governo e das empresas está voltada para a árdua tarefa de como e quando fazer com que os funcionários de todo o Reino Unido voltem ao trabalho com segurança".

No entanto, seria ingênuo pensar que as coisas serão iguais depois da crise. Muitas pessoas estão considerando as consequências a longo prazo do home office.

"As empresas que pretendem cortar custos ou atender ao aumento da demanda dos funcionários por trabalho flexível também precisam considerar as consequências para a produtividade do país ao permitir que os funcionários trabalhem em casa sem que elas façam investimentos em um ambiente de trabalho adequado".

Uma pesquisa sugere que, apesar desses fatores, mais de dois terços dos empresários e gerentes acreditam que o trabalho remoto será "o futuro" das empresas, mesmo após o relaxamento do lockdown imposto pelo coronavírus.

Uma pesquisa da Hoxby, empresa de consultoria e agência virtual, com mais de 1.000 pessoas que trabalham em escritórios no Reino Unido também sugere que os gerentes foram positivamente surpreendidos pelo desempenho das equipes que trabalharam em casa durante a pandemia de COVID-19. Cerca de 52% dos líderes disseram que os funcionários foram ainda mais produtivos do que no escritório.

Lucy Harley-McKeown

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.