Mercado abrirá em 36 mins
  • BOVESPA

    112.282,28
    +2.032,55 (+1,84%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.338,34
    +510,21 (+1,00%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,67
    -0,56 (-0,78%)
     
  • OURO

    1.773,90
    -4,90 (-0,28%)
     
  • BTC-USD

    43.504,25
    +1.452,12 (+3,45%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.088,76
    +48,28 (+4,64%)
     
  • S&P500

    4.395,64
    +41,45 (+0,95%)
     
  • DOW JONES

    34.258,32
    +338,48 (+1,00%)
     
  • FTSE

    7.074,53
    -8,84 (-0,12%)
     
  • HANG SENG

    24.510,98
    +289,44 (+1,19%)
     
  • NIKKEI

    29.639,40
    -200,31 (-0,67%)
     
  • NASDAQ

    15.229,25
    +65,75 (+0,43%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1830
    -0,0258 (-0,42%)
     

Drones podem substituir satélites e fogos de artifício?

·2 minuto de leitura

Os drones são aeronaves muito versáteis e podem ter utilidade recreativa ou profissional, dependendo exclusivamente do seu nível de construção e equipamentos. Algumas empresas já perceberam que esse produto, que atraiu mais de US$ 1,4 bilhão em investimentos em 2020, pode servir para, no futuro, substituir satélites e até mesmo fogos de artifício.

Um dos casos mais conhecidos é o da startup dinamarquesa QuadSAT. Ela desenvolveu drones quadricópteros que podem atuar como se fossem minissatélites para a calibrar antenas de rádio e conexão 5G. Todo o processo é bem mais eficiente do que eventuais testes em laboratório e dão aos profissionais muito mais possibilidades, já que o trabalho de campo é mais efetivo. O próximo passo, segundo seus diretores, é buscar registros para operação sem supervisão humana.

Já a startup estadunidense Rammaxx criou um sistema de drones que pode, eventualmente, substituir fogos de artifício no céu, com efeito realista. Com o sucesso desse programa, que já tem alguns clientes, a empresa já pensa em utilizar as aeronaves para lançar satélites no espaço. "Percebemos como os drones podem subir incrivelmente rápido e que isso poderia ser útil para elevação vertical, especialmente para o espaço", disse Dan Lubrich, CEO da Rammaxx.

A empresa, aliás, vem realizando testes com foguetes de pequena escala, com os drones os levando até certa altura e depois os soltando para lançamento em movimento. O diferencial, porém, é que esse expediente pode gerar uma economia de combustível absurda em algumas operações, mesmo que seja utilizada uma grande quantidade de drones para elevar uma estrutura como essa.

(Imagem: Divulgação/QuadSAT)
(Imagem: Divulgação/QuadSAT)

Em entrevista ao Space News, Lubrich disse que busca investidores para alcançar a marca de US$ 1 milhão. Com esse dinheiro, seria possível ampliar os testes com drones superiores e em maiores quantidades.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos