Mercado fechará em 3 h 46 min
  • BOVESPA

    125.142,41
    -1.004,25 (-0,80%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.214,85
    -25,66 (-0,05%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,75
    -0,16 (-0,22%)
     
  • OURO

    1.802,20
    -3,20 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    32.182,34
    -226,86 (-0,70%)
     
  • CMC Crypto 200

    778,74
    -15,00 (-1,89%)
     
  • S&P500

    4.403,24
    +35,76 (+0,82%)
     
  • DOW JONES

    35.030,58
    +207,23 (+0,60%)
     
  • FTSE

    7.027,58
    +59,28 (+0,85%)
     
  • HANG SENG

    27.321,98
    -401,86 (-1,45%)
     
  • NIKKEI

    27.548,00
    +159,80 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.067,25
    +138,75 (+0,93%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0869
    -0,0333 (-0,54%)
     

Dragão é o novo maior supercomputador da América Latina e já está em operação

·2 minuto de leitura

Desde o começo de junho está em operação o maior supercomputador da América Latina. O Dragão, que pertence à Petrobras, pesa 20 toneladas, tem 34 metros de comprimento e possui 200 terabytes de memória RAM, além de utilizar uma rede de 100 gigabits por segundo.

Segundo a própria Petrobras, o Dragão é maior que Atlas e Fenix, os outros dois maiores supercomputadores da América Latina, e que também pertencem à estatal. A capacidade de processamento da máquina equivale a quatro milhões de smartphones ou cem mil notebooks contemporâneos. O novo equipamento será utilizado para processar dados geofísicos e operacionais e também dará suporte a projetos estratégicos da companhia.

O diretor de Transformação Digital e Inovação da Petrobras, Nicolás Simone, explicou que o novo supercomputador “reforça nossa estratégia de conferir mais economicidade, agilidade, segurança e resiliência às nossas operações, aumentando a capacidade de processamento de dados para dar suporte ao negócio”. Ele ainda lembrou que este é o nono supercomputador que entra em operação nos últimos dois anos, e a companhia espera atingir cerca de 40 teraflops de capacidade, sem contar uso da nuvem, até o fim de 2021.

A montagem do Dragão, iniciada em dezembro, levou cerca de três meses para ser concluída, seguida por um período de instalação dos softwares e operação assistida. A empresa alegou ter usado dez caminhões para transportar todas as partes da máquina, instalada em fileiras de oito a nove blocos que totalizam os 34 metros de comprimento.

Auxílio no processamento de dados geofísicos

Dragão tem 200 TB de memória RAM (Imagem: Rafael Wallace/Agência Petrobras)
Dragão tem 200 TB de memória RAM (Imagem: Rafael Wallace/Agência Petrobras)

O Dragão será utilizado principalmente na análise de dados geofísicos da Petrobras, com algoritmos desenvolvidos pelos profissionais da área da companhia em conjunto com os analistas de sistemas da estatal. Segundo a companhia, o supercomputador permitirá a geração de imagens da subsuperfície com maior resolução em áreas de interesse para exploração de petróleo e gás natural. Isso deve otimizar a produção e reduzir o tempo de processamento de maneira significativa.

O supercomputador também deve atuar em programas estratégicos, e a companhia espera reduzir o prazo para início de produção em um campo ao utilizar 100% de dados técnicos disponíveis nos projetos exploratórios.

“A capacidade de computação no mundo dobra a cada dois anos e a estratégia de investir em aumentá-la, seja por meio dos supercomputadores ou nuvem, tem trazido inúmeros ganhos da companhia”, observou o diretor de exploração e produção da Petrobras, Fernando Borges.

“Com a evolução da capacidade de processamento de dados geofísicos, reduzimos o risco nos projetos de E&P e podemos dimensionar melhor os projetos, o que traz grande economia, e até posicionar melhor os poços, aumentando o índice de sucesso exploratório. Isso é inteligência competitiva”, concluiu.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos