Mercado abrirá em 6 h 25 min
  • BOVESPA

    128.405,35
    +348,35 (+0,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.319,57
    +116,77 (+0,23%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,93
    +0,29 (+0,40%)
     
  • OURO

    1.777,80
    +8,80 (+0,50%)
     
  • BTC-USD

    33.157,14
    -2.478,61 (-6,96%)
     
  • CMC Crypto 200

    822,83
    -117,12 (-12,46%)
     
  • S&P500

    4.166,45
    -55,41 (-1,31%)
     
  • DOW JONES

    33.290,08
    -533,32 (-1,58%)
     
  • FTSE

    7.017,47
    -135,96 (-1,90%)
     
  • HANG SENG

    28.408,76
    -392,51 (-1,36%)
     
  • NIKKEI

    28.010,93
    -953,15 (-3,29%)
     
  • NASDAQ

    14.052,75
    +17,75 (+0,13%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0142
    -0,0219 (-0,36%)
     

Dr.Jairinho tem dez dias para apresentar defesa ao Conselho de Ética da Câmara do Rio

·2 minuto de leitura

RIO — A partir desta segunda-feira, o vereador Dr.Jairinho terá dez dias para apresentar sua defesa no processo de cassação de seu mandato conduzido pelo Conselho de Ética da Câmara do Rio. Na última sexta-feira, o relator do processo, o vereador Luiz Ramos Filho (PMN), enviou ao secretário destadual de Administração Penitenciária do Rio de Janeiro, Raphael Monternegro Hirschfeld, um pedido para que o vereador fosse notificado da ação. A secretaria informou à Câmara que Jairinho recebeu notificação no mesmo dia. Desse modo, o prazo de dez dias para apresentar sua defesa começa a contar a partir desta segunda.

- Estamos estudando a fundo o caso, cada detalhe do inquérito, que é bastante complexo. Mas é preciso lembrar que o julgamento na Câmara não é criminal, mas político, sobre a quebra de decoro - afirmou Ramos Filho.

Nesse processo, Jairinho responde por quebra de decoro parlamentar e pode apresentar defesa por escrito, informando as testemunhas que pretende usar e as provas a serem produzidas.

O vereador preso terá seu direito à defesa após os membros do Conselho de Ética da Câmara dos Vereadores decidiram, por unanimidade, pela cassação do mandato de Dr. Jairinho (sem partido), preso acusado de torturar e matar o seu enteado, o menino Henry Borel, de 4 anos. Na ocasião, a deliberação foi realizada durante uma reunião de duas horas e meia na tarde desta segunda-feira entre os sete vereadores.

— Nós estamos diante de um crime bárbaro, de um vereador suspeito de ter praticado crime hediondo que levou à morte de uma criança. Já passa da hora desta casa dar uma resposta à sociedade — disse a vereadora Teresa Bergher, autora de uma proposta de emenda ao regimento interno da casa, para que, em caso de suspeita de crime hediondo, o vereador seja imediatamente afastado.

O vereador Luiz Ramos Filho (PMN), que tomou posse no conselho justamente no lugar deixado por Jairinho, informou que o conselho deve representar contra o vereador, obviamente respeitando todos os ritos, a ampla defesa e o contraditório.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos