Mercado fechado

Doze capitais brasileiras já podem receber novas redes 5G, diz ministério

·2 min de leitura

O Ministério das Comunicações informou na quarta-feira (26) que 12 capitais brasileiras já estão totalmente prontas, tanto em infraestrutura quanto em legislação, para receber o 5G, a quinta geração de internet móvel. Leiloado em novembro, o padrão oferecerá conexões de alta velocidade em todas as capitais brasileiras até 31 de julho deste ano.

Para as demais localidades do país, espera-se uma adequação de leis municipais e da instalação de infraestrutura adequada para que a tecnologia passe a funcionar. Um exemplo disso é a adaptação de cada cidade para a Lei Geral das Antenas, que regula a instalação de antenas de telecomunicações.

A responsabilidade de fiscalização e regulamentação das antenas é da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), que participará de todo o processo de transição da atual rede de antenas para o novo padrão. O prazo para que este processo seja finalizado vai até 2029.

Instalação das novas antenas do 5G difere das tecnologias anteriores (Imagem: Pixabay)
Instalação das novas antenas do 5G difere das tecnologias anteriores (Imagem: Pixabay)

O Decreto nº. 10.480 de 2020 detalha a expedição de licenças para que as operadoras possam realizar a instalação da rede. A instalação das novas antenas do 5G difere das tecnologias anteriores, já que necessitam de densidade maior de replicadores de sinal. Os grandes centros urbanos terão uma antena para cada 100 mil habitantes, número dez vezes maior do que o que se usa atualmente no padrão 4G.

“Este é mais um dispositivo que contribui para a expansão das redes 5G, que, em comparação às tecnologias anteriores, requerem maior densidade de antenas (mas de menor tamanho)”, explica o secretário de Telecomunicações Arthur Coimbra.

Além disso, de acordo com os termos do leilão do 5G, empresas que arremataram as concessões de uso das bandas também firmaram o compromisso de ampliar a cobertura do 4G, padrão mais usado atualmente, para 100% do território nacional.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos