Mercado fechado

Download de jogos no PlayStation 4 pode ficar mais lento, diz Sony

Rafael Arbulu

A Sony admitiu, em um post publicado no blog oficial do PlayStation, que as atividades online de usuários do PlayStation 4 podem ficar comprometidas na Europa devido à colaboração com as companhias de telecomunicações do continente, já que a União Europeia teme que o tráfego de internet possa ficar sobrecarregado frente ao aumento do consumo de banda pelas pessoas que estão isoladas e em quarentena em diversos países.

Contextualizando: várias empresas que oferecem serviços de internet estão concordando com um pedido da União Europeia para reduzirem o volume de algumas de suas ofertas a fim de evitar que quedas de rede aconteçam em momentos críticos. Até o momento, Netflix, YouTube, Amazon Prime Video e Disney+ confirmaram que vão reduzir a qualidade de seus catálogos de streaming, e algumas empresas de reprodução de músicas pela internet sinalizaram que pretendem tomar a mesma decisão.

No post, assinado pelo presidente da Sony Interactive Entertainment, Jim Ryan, a empresa reconhece que a ação pode trazer efeitos na experiência de uso dos jogadores: “Nós acreditamos em fazer a nossa parte em meio às preocupações com a estabilidade do acesso à internet já que um número sem precedentes de pessoas estão praticando o distanciamento social e estão dependendo mais e mais de uma conexão online”, diz o texto. “[Por isso] Os jogadores podem acabar enfrentando downloads de jogos relativamente lentos ou atrasados, mas ainda poderão gozar de um gameplay robusto. Nós agradecemos todo o apoio e compreensão de nossa comunidade e por ela também fazer a sua parte, já que tomamos essas medidas em meio ao esforço de preservar o acesso a todo mundo”.

A Sony não levantou a possibilidade de lentidão nos serviços online para outros continentes, haja vista que, ainda que operadoras de outros países considerem a tomada de ações em virtude do avanço do novo coronavírus, não houve um pedido de órgão oficial para que empresas aliviassem o tráfego online.

Já na Europa, as empresas de telecomunicação asseguram ter estrutura para comportar esse súbito aumento — algo que ninguém quer testar: mais cedo, o Facebook informou em comunicado que registrou um aumento de 70% no uso de sua plataforma social somente na Itália e 50% em suas ferramentas de mensagens instantâneas (Messenger; WhatsApp). A Itália é o segundo país mais afetado pelo avanço da pandemia, com quase 70 mil casos confirmados da COVID-19, a doença derivativa do novo coronavírus. À frente dela, apenas a China, de onde o vírus saiu.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: