Dow Jones e S&P atingem maior nível desde 2007

As Bolsas de Nova York fecharam em alta nesta sexta-feira, impulsionadas por balanços corporativos positivos, e registraram ganhos na semana. O índice Dow Jones renovou pela terceira sessão seguida a máxima desde outubro de 2007, enquanto o S&P 500 fechou no patamar mais elevado desde dezembro daquele ano.

O Dow Jones ganhou 70,65 pontos (0,51%) e fechou a 13.895,98 pontos. Na semana, a alta foi de 1,80%. O Nasdaq avançou 19,33 pontos (0,62%), fechando a 3.149,71 pontos. No acumulado da semana, houve elevação de 0,48%. E o S&P 500 teve alta de 8,14 pontos (0,54%), encerrando a sessão a 1.502,96 pontos. No resultado semanal, o ganho ficou em 1,14%. Com o avanço deste pregão, o S&P fechou em alta por oito sessões consecutivas, a maior sequência de ganhos desde novembro de 2004.

O Departamento do Comércio dos EUA informou mais cedo que as vendas de moradias novas caíram 7,3% em dezembro, em comparação com novembro, para a média anualizada de 369 mil unidades. O resultado veio bem abaixo da previsão dos economistas consultados pela Dow Jones, que esperavam que a média anualizada ficasse em 385 mil, com crescimento de 2,1%. Mesmo assim, o ano de 2012 fechou com alta de 20% nas vendas em relação a 2011, apesar de ter sido o terceiro pior ano para vendas de moradias novas desde 1963.

Na Europa, os investidores comemoraram a última leitura do índice de confiança das empresas da Alemanha, que em janeiro atingiu seu nível mais alto em sete meses, segundo o instituto IFO. O índice subiu este mês para 104,2, de 102,4 em dezembro, superando a previsão de 103,0. Por outro lado, o Reino Unido aparentemente se encaminha para uma nova recessão. Dados preliminares do Escritório para Estatísticas Nacionais (ONS, na sigla em inglês) mostram que o PIB britânico caiu 0,3% no quarto trimestre, em comparação com o terceiro. Em base anual, a produção ficou estável. Economistas previam que o PIB britânico teria contração trimestral de 0,1% e crescimento anual de 0,3%.

Enquanto isso, em seu primeiro pronunciamento público sobre o pagamento das Operações de Refinanciamento de Longo Prazo (LTROs, na sigla em inglês), o Banco Central Europeu (BCE) disse que 278 bancos, de um total de 523, vão devolver 137,16 bilhões de euros em empréstimos liberados pela instituição no próximo dia 30. Além de o número ter vindo acima do previsto, o reembolso de empréstimos é um indício de que as condições financeiras dos bancos na região - que vinham sendo alvo de preocupação - estão melhores. No auge da crise europeia, os bancos tomaram mais de 1 trilhão de euros por meio das duas rodadas de LTROs.

No noticiário corporativo, a Procter & Gamble divulgou um resultado trimestral mais positivo do que se previa. O lucro da maior empresa mundial de produtos de consumo mais que dobrou no segundo trimestre fiscal (equivalente ao quarto trimestre de 2012), para US$ 4,06 bilhões, ou US$ 1,39 por ação, e suas vendas totais cresceram 2%, para US$ 22,18 bilhões. Analistas consultados pela Thomson Reuters previam lucro por ação de US$ 1,11 e receita de US$ 21,91 bilhões. Com isso, as ações da companhia fecharam em alta de 4,02%.

Também superou a projeção média o lucro da Microsoft, que foi divulgado ontem e ficou em US$ 6,38 bilhões no segundo trimestre fiscal, ou US$ 0,76 por ação. A estimativa era de lucro de US$ 0,75 por ação. Os números fizerem o papel da empresa ganhar 0,90%. Outra que teve alta em função de um balanço positivo foi a Halliburton, que subiu 5,05%. A companhia de serviços para a indústria de petróleo teve lucro de US$ 669 milhões (US$ 0,72 por ação) no quarto trimestre, uma queda de 26% na comparação com o mesmo período de 2011. Analistas esperavam lucro de US$ 0,60 por ação.

"As pessoas estão focadas nos informes de resultados, e estão positivamente surpresas com o fato de os lucros serem melhores do que se temia. Muito do ruído macroeconômico foi abafado", comenta Paul Powers, da Raymond James Financial.

Com os resultados deste pregão a Apple perdeu o posto de maior empresa do mundo em capitalização de mercado para a Exxon Mobil, de acordo com uma análise da FactSet. Os papéis da fabricante do iPhone recuaram 2,36%, a US$ 439,88, o que lhe dá um valor de mercado de quase US$ 413 bilhões. Já as ações da Exxon subiram 0,42%, para US$ 91,73, fazendo sua capitalização de mercado chegar a aproximadamente US$ 417 bilhões. As informações são da Dow Jones.

Carregando...