Mercado fechado
  • BOVESPA

    128.405,35
    +348,13 (+0,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.319,57
    +116,77 (+0,23%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,50
    +0,46 (+0,65%)
     
  • OURO

    1.763,90
    -10,90 (-0,61%)
     
  • BTC-USD

    35.639,08
    +325,14 (+0,92%)
     
  • CMC Crypto 200

    888,52
    -51,42 (-5,47%)
     
  • S&P500

    4.166,45
    -55,41 (-1,31%)
     
  • DOW JONES

    33.290,08
    -533,37 (-1,58%)
     
  • FTSE

    7.017,47
    -135,96 (-1,90%)
     
  • HANG SENG

    28.801,27
    +242,68 (+0,85%)
     
  • NIKKEI

    28.964,08
    -54,25 (-0,19%)
     
  • NASDAQ

    14.017,75
    -138,50 (-0,98%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0361
    +0,0736 (+1,23%)
     

Dose única: vacina da CanSino pede autorização de uso para Anvisa

·2 minuto de leitura

Na noite de terça-feira (18), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recebeu o pedido para a autorização de uso emergencial de vacina contra a COVID-19 de dose única, desenvolvida pelo laboratório chinês CanSino Biologics. A solicitação foi feita pela empresa Belcher Farmacêutica, representante nacional da fórmula contra o coronavírus SARS-CoV-2, conhecida como Convidecia.

Segundo nota da Anvisa, "a análise da documentação já foi iniciada. No momento, está sendo feita a triagem para verificar se todas as informações para a avaliação da Agência foram devidamente apresentadas". Caso a documentação da vacina da CanSino contra a COVID-19 esteja completa, a agência reguladora deve se manifestar em até sete dias úteis, autorizando ou não o seu uso nos brasileiros.

Anvisa analisa autorização de uso da vacina de dose única da CanSino contra a COVID-19 (Imagem: Reprodução/Ali Raza/Pixabay)
Anvisa analisa autorização de uso da vacina de dose única da CanSino contra a COVID-19 (Imagem: Reprodução/Ali Raza/Pixabay)

Anteriormente, a Anvisa realizou duas reuniões com representantes do laboratório CanSino, ambas em março deste ano. Durante os encontros, a agência detalhou os procedimentos necessários e as informações que a empresa deveria fornecer para que fosse possível analisar o pedido.

Como funciona a vacina de dose única da CanSino contra a COVID-19?

Desenvolvido em parceria com a Academia de Ciências Médicas Militares da China, o imunizante contra o coronavírus da CanSino é produzido a partir de um adenovírus humano não replicante. Esta tecnologia de usar um vetor viral, editado geneticamente para conter partes do vírus da COVID-19, é também adotada pela Covishield (Oxford/AstraZeneca/Fiocruz), pela Sputnik V (Instituto Gamaleya) e pela Janssen (Johnson & Johnson).

Os ensaios clínicos (em humanos) da vacina Convidecia foram realizados em inúmeros países, como Paquistão, Rússia, Chile, Argentina e México. Os dados obtidos nestes testes de Fase 3 é que serão analisados pela Anvisa, na hora de aprovar ou não o imunizante contra a COVID-19 para os brasileiros.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Segundo o embaixador da República Popular da China no Brasil, Yang Wanming, a fórmula contra o coronavírus já é adotada para proteger a população chinesa. Além disso, a busca pela autorização da vacina pela Anvisa reforça o fato de que "a China está comprometida em continuar e ampliar a parceria de vacinas com o Brasil".

Vale lembrar que a Anvisa já aprovou sete vacinas contra a COVID-19. As vacinas da Pfizer/BioNTech e a Covishield (Fiocruz/AstraZeneca/Oxford) possuem um registro definitivo, concedido pela Anvisa. Agora, a vacina da Janssen (Johnson & Johnson), a CoronaVac (Instituto Butantan/Sinovac) e a Covishield (com IFA produzido na Índia) receberam autorização para uso emergencial.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos