Mercado fechado
  • BOVESPA

    109.114,16
    -2.601,84 (-2,33%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.808,56
    -587,38 (-1,29%)
     
  • PETROLEO CRU

    77,06
    +0,35 (+0,46%)
     
  • OURO

    1.636,70
    +3,30 (+0,20%)
     
  • BTC-USD

    19.726,83
    +847,66 (+4,49%)
     
  • CMC Crypto 200

    452,38
    +19,28 (+4,45%)
     
  • S&P500

    3.655,04
    -38,19 (-1,03%)
     
  • DOW JONES

    29.260,81
    -329,60 (-1,11%)
     
  • FTSE

    7.020,95
    +2,35 (+0,03%)
     
  • HANG SENG

    17.863,62
    +8,48 (+0,05%)
     
  • NIKKEI

    26.619,12
    +187,57 (+0,71%)
     
  • NASDAQ

    11.395,50
    +79,25 (+0,70%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1890
    +0,0096 (+0,19%)
     

Doomscrolling | Por que companhar más notícias é prejudicial à saúde

Segundo uma pesquisa publicada na revista Health Communication no último mês, uma prática chamada doomscrolling — que consiste em acompanhar as más notícias através do celular, em uma espécie de rolagem infinita de tela — gera um círculo vicioso prejudicial à saúde.

O estudo contou com a participação de 1.100 pessoas, e 16,5% mostraram sinais de consumo de notícias “severamente problemático”, levando a níveis maiores de estresse, ansiedade e problemas de saúde. Os autores sugerem que o ciclo de notícias de 24 horas pode trazer um “estado constante de alerta máximo” em algumas pessoas, fazendo com que o mundo pareça um lugar “sombrio e perigoso”.

“Para esses indivíduos, um círculo vicioso pode se desenvolver, no qual, em vez de se desligar, eles se tornam ainda mais atraídos, obcecados pelas notícias e verificando atualizações o tempo todo para aliviar seu sofrimento emocional”, apontam os pesquisadores. Quanto mais se checa notícias, mais elas começam a interferir em outros aspectos da vida.

Enquanto isso, cerca de 27,3% dos entrevistados relataram níveis “moderadamente problemáticos” de consumo de notícias, 27,5% foram minimamente impactados e 28,7% não tiveram problemas.

Acompanhar más notícias gera ciclo vicioso prejudicial à saúde (Imagem: Obi/Unsplash)
Acompanhar más notícias gera ciclo vicioso prejudicial à saúde (Imagem: Obi/Unsplash)

Entre os envolvidos com níveis de consumo severamente problemáticos, 74% relataram ter problemas de saúde mental e 61% relataram problemas físicos em comparação com 8% e 6,1% de todos os outros participantes do estudo.

“Isso é certamente preocupante e sugere que o problema pode ser mais generalizado do que esperávamos. Muitas pessoas parecem estar experimentando uma quantidade significativa de ansiedade e estresse devido a seus hábitos de consumo de notícias”, disseram os autores do estudos sobre doomscrolling.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: