Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.523,47
    -1.617,53 (-1,47%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.049,05
    +174,15 (+0,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,23
    -2,65 (-3,49%)
     
  • OURO

    1.865,90
    -50,40 (-2,63%)
     
  • BTC-USD

    22.935,59
    -504,25 (-2,15%)
     
  • CMC Crypto 200

    535,42
    -1,43 (-0,27%)
     
  • S&P500

    4.136,48
    -43,28 (-1,04%)
     
  • DOW JONES

    33.926,01
    -127,89 (-0,38%)
     
  • FTSE

    7.901,80
    +81,64 (+1,04%)
     
  • HANG SENG

    21.660,47
    -297,89 (-1,36%)
     
  • NIKKEI

    27.509,46
    +107,36 (+0,39%)
     
  • NASDAQ

    12.616,50
    -230,25 (-1,79%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5362
    +0,0465 (+0,85%)
     

Donos estudam venda do Subway; valor pode superar R$ 51 bi

Subway: empresa é a maior rede de fast-food pelo número de lojas. (Xavi Lopez/SOPA Images/LightRocket via Getty Images)
Subway: empresa é a maior rede de fast-food pelo número de lojas. (Xavi Lopez/SOPA Images/LightRocket via Getty Images)
  • Empresa é a maior rede de fast-food por número de estabelecimentos;

  • No Brasil, Subway está presente nas 27 unidades federativas com 1,6 mil lojas;

  • Empresa é uma das maiores e mais famosas do mundo que permanece sendo propriedade privada.

A gigante mundial do ramo alimentício, Subway, está considerando se colocar à venda. A empresa, que está ativamente buscando por compradores corporativos ou por empresas de private equity, avaliou seu próprio valor em US$ 10 bilhões, ou R$ 51 bilhões.

A rede de sanduíches está presente em mais de 104 países ao redor do globo e com um total de 43 mil lojas, sendo a maior rede de fast-food do mundo em termos de número de estabelecimentos. A maior parte destas é localizada nos Estados Unidos, onde é conhecida popularmente por sua onipresença. No Brasil, a empresa possui cerca 1,6 mil estabelecimentos comerciais nos 26 estados e no Distrito Federal.

A decisão foi tomada há pouco mais de um ano, em 2021, quando o último fundador sobrevivente da empresa, Peter Buck, morreu aos 90 anos de idade. Desde então a empresa tem sido gerenciada pelos membros de sua família e pelos familiares de Fred DeLuca, o outro fundador da rede alimentícia. Isto faz com que o Subway seja uma das maiores e mais conhecidas empresas do mundo que permanece como propriedade privada, não sendo comercializada em nenhuma Bolsa de Valores.

Em declaração ao portal Business Insider, um porta-voz da empresa afirmou: "Como uma empresa privada, não comentamos sobre estrutura de propriedade e planos de negócios. Continuamos focados em levar a marca adiante com nossa jornada de transformação para ajudar nossos franqueados a serem bem-sucedidos e rentáveis."

Nos últimos anos, sob o comando do CEO John Chidsey, o Subway tem passado por uma reformulação de sua marca e de seu menu após passar por um período de quedas nas vendas, fechamento de lojas e acusações de má qualidade de seus produtos.

A mudança em sua marca pode ser observada através de experimentações em mercados internacionais. Na Coreia do Sul, por exemplo, a marca é famosa por patrocinar muitas séries televisivas e é sinônimo de uma refeição saudável, rápida e limpa.