Mercado fechado

Dono de time de futebol nos EUA venderá franquia após acusações de racismo

Jewel SAMAD
·1 minuto de leitura
Logo da Major League Soccer (MLS), a liga de futebol profissional dos Estados Unidos
Logo da Major League Soccer (MLS), a liga de futebol profissional dos Estados Unidos

O dono do Real Salt Lake, Dell Loy Hansen, que está sendo investigado pela Liga de Futebol Americano (Major League Soccer, MLS) por comentários racistas, vai vender o time e seus dois clubes afiliados, informou neste domingo o comissário da MLS, Don Garber. 

Segundo informações recebidas pela liga, Hansen venderá a Utah Soccer Holdings, entidade proprietária do Real Salt Lake, bem como do time feminino Utah Royals (da National Women's Soccer League) e do Real Monarchs Men's Development Club. 

"A MLS trabalhará com o Sr. Hansen para apoiar os esforços de venda da empresa e trabalhará em estreita colaboração com os dirigentes do clube para apoiar a equipe durante o período de transição", afirmou o comissário. 

O site americano de notícias esportivas The Athletic, citando o ex-olheiro do Real Salt Lake Andy Williams, revelou que Hansen fez comentários racistas. 

Hansen também está sendo criticado por desaprovar a decisão de  seus jogadores de não ir à campo na rodada de quarta-feira do Campeonato Americano em protesto contra o racismo e a violência policial, ação desencadeada por conta da agressão a um homem negro no estado Wisconsin, Jacob Blake, baleado à queima roupa nas costas por policiais, diante dos três filhos, na semana passada. 

Embora cinco dos seis jogos da MLS programados para a última quarta-feira não tenham sido disputados, Hansen considerou esse gesto "desrespeitoso".

mb/chc/meh/ol/lca