Mercado fechado

Donald Trump está na Twitch (e "100% nem aí" para Jeff Bezos)

Claudio Yuge

Quem acompanha a vida do presidente dos Estados Unidos sabe que ele mostra clara indisposição com relação à Amazon e ao seu CEO, Jeff Bezos. Por isso, há certa surpresa no anúncio de seu novo canal na Twitch, que faz parte das companhias adquiridas pela rede varejista ao longo dos anos.

A chegada de Trump à plataforma de lives é recente e faz parte de sua estratégia de reeleição. Ele por enquanto tem pouco mais de 6 mil seguidores e ainda não realizou transmissões ao vivo — e, embora a Twitch seja mais conhecida por exibir jogatinas, não espere ver o mandatário jogando Fortnite.

(Imagem: Reprodução/Twitch)

Em vez disso, seu canal apresenta uma mensagem em destaque lembrando os espectadores de seu comício em Minneapolis, Minnesota, na noite desta quinta-feira (10). Há também um botão inferior na página que incentiva os apoiadores a doar para sua campanha.

Trump não é o primeiro candidato político a usar a Twitch para tentar se conectar mais diretamente com os eleitores, especialmente os mais jovens. Bernie Sanders, por exemplo, também está por lá. Trump, no entanto, tem um histórico de denegrir o proprietário da empresa.

Treta entre Trump e Amazon começou em 2016

Quando concorria à presidência em 2016, Trump condenou a compra do The Washington Post pela Amazon, dizendo que Jeff Bezos queria, com isso, uma cobertura “mais positiva” de sua companhia na mídia — vale explicar que a Amazon não é “dona” do jornal, mas uma holding que teve participação inicial de Bezos, a Nash Holdings, adquiriu o periódico em 2013 por US$ 250 milhões.

"Se eu me tornar presidente, eles terão problemas", disse Trump em um evento no Texas em fevereiro de 2016. Mas a campanha do então candidato contra a Amazon não parou por aí. Ele continuou tuitando e criticando a rede varejista em entrevistas, dizendo que ela vinha “se safando de assassinatos em termos fiscais”.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: