Mercado fechará em 4 h 43 min

EUA anuncia novas sanções, mas pede paz ao Irã

Ele também afirmou que enquanto ele for presidente, o Irã nunca poderá ter arma nuclear. (Foto: AP Photo/ Evan Vucci)

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, fez um pronunciamento, na tarde desta quarta-feira (8), a respeito dos ataques a mísseis disparados pelo Irã contra duas bases norte-americanas no Iraque, realizado durante a noite de terça-feira (7).

“Eu estou feliz por informar que o povo americano deve estar grato e feliz. Nenhum americano foi atingido, não sofremos perdas, nossos soldados estão seguros e só danos minmios aconteceram nas nossas bases.”

Ele também afirmou que enquanto ele for presidente, o Irã nunca poderá ter arma nuclear. Disse também que vai impor novas sanções.

Veja o resumo do que ele falou:

  • Nenhum americano ou iraquiano morreu durante os ataques de terça-feira (7);

  • Ele vai impor novas sanções econômicas que vão continuar “ate que o Irã mude seu comportamento”

  • As forças armadas dos EUA estão “preparadas para tudo”

  • Ao mesmo tempo, EUA quer “abraçar a paz”

  • Os países que ainda estão no acordo nuclear (Alemanha, China, Reino Unido, Rússia e França) devem abandoná-lo

  • O Irã é o principal patrocinador de terrorismo no mundo, e a busca por armas nucleares ameaça o mundo civilizado. “Nunca deixaremos isso acontecer”

  • A OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte) deve ter um papel mais ativo no Oriente Médio

  • Qasem Soleimani, que os EUA mataram na semana passada, era responsável pelas piores atrocidades cometidas pelo regime

  • Os EUA e Irã têm um inimigo em comum: o Estado Islâmico, e ambos devem trabalhar em conjunto nesse e em outros pontos

Leia mais sobre o conflito entre Estados Unidos e Irã

O ATAQUE

Entre as 19h45 e 20h15 de terça, horário de Brasília - 1h45 e 2h15 no horário do Iraque -, 22 mísseis foram disparados contra as bases e, até agora, não há relatos de vítimas entre as forças dos EUA ou do Iraque. Os alvos foram a base aérea de Ain al-Assad e outra base sediada na cidade de Erbil, na região curda do Iraque.

A operação iraniana foi batizada de “Mártir Soleimani”, em resposta à morte do general Qasem Soleimani, que estava em um comboio atacado por drones dos EUA no dia 2 de janeiro, no aeroporto internacional de Bagdá, no Iraque. A Casa Branca assumiu a autoria do ataque contra Soleimani - que também matou outros 8 líderes de facções iranianas.

Logo após os ataques às bases dos EUA, Trump foi ao Twitter para dizer que estava “tudo bem” e anunciar que faria um pronunciamento nesta quarta.

“Está tudo bem! Mísseis lançados do Irã contra duas bases militares localizadas no Iraque. Avaliação das vítimas e mortes ocorrendo agora. Até o momento, tudo bem! Temos, de longe, as forças armadas mais poderosas e bem equipadas do mundo! Farei uma declaração amanhã de manhã”, escreveu o presidente dos EUA

O Irã reagiu de maneira extremamente agressiva após o bombardeio às bases dos EUA, dizendo que se os Estados Unidos retaliassem os ataques desta terça, responderiam à ofensiva atacando territórios "dentro da América".

De acordo com informações da Globo News, além de Haifa, o comunicado ameaçava também Dubai, nos Emirados Árabes. O califado, assim como Israel, é um dos principais aliados dos Estados Unidos na região.

‘BOFETADA’

O guia supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, classificou o ataque como "uma bofetada na cara" dos Estados Unidos.

"Na noite passada, foi dada uma bofetada na cara" dos americanos, disse o líder em um discurso divulgado pela televisão. "O que importa é que a presença corrupta dos Estados Unidos nesta região tem que terminar", frisou.

Khamenei já havia pedido uma "vingança severa" pela morte de Qasem Soleimani, general morto em 3 de janeiro em um ataque americano perto do aeroporto de Bagdá.