Mercado abrirá em 9 h 15 min
  • BOVESPA

    117.380,49
    -948,51 (-0,80%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.126,51
    +442,96 (+0,99%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,55
    -0,22 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.858,90
    +3,70 (+0,20%)
     
  • BTC-USD

    32.453,22
    +84,94 (+0,26%)
     
  • CMC Crypto 200

    656,05
    -20,85 (-3,08%)
     
  • S&P500

    3.855,36
    +13,89 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    30.960,00
    -36,98 (-0,12%)
     
  • FTSE

    6.638,85
    -56,22 (-0,84%)
     
  • HANG SENG

    29.729,02
    -429,99 (-1,43%)
     
  • NIKKEI

    28.616,56
    -205,73 (-0,71%)
     
  • NASDAQ

    13.434,75
    -40,75 (-0,30%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7118
    +0,0756 (+1,14%)
     

Dona de navio naufragado na Bacia de Campos ainda não tem plano para recuperar embarcação

Ramona Ordoñez
·1 minuto de leitura
Divulgação/Sindipetro Norte Fluminense

RIO - O navio Carmen, operado pela empresa OceanPact Geociências, que naufragou na Bacia de Campos na madrugada da última sexta-feira, foi localizado no fundo do mar no sábado. Nesta segunda-feira, a companhia informou a contratação de uma empresa internacional especializada para avaliação do acidente e da embarcação.

No momento do naufrágio, o navio que prestava serviços de apoio às atividades petrolíferas no mar tinha 18 tripulantes. Todos foram resgatados com vida e sem ferimentos. Ele realizava levantamento batimétrico na Bacia de Campos para a instalação de equipamentos de obtenção de dados oceanográficos. A atividade tinha a autorização da Marinha Brasileira.

A OceanPact Geociências explicou que já terminou as investigações com uso de ROV (robô submarino) para localização e avaliação das condições da embarcação. De acordo com a empresa, o navio se encontra no fundo do mar, a 265 metros de profundidade, afastada de qualquer duto ou outra instalação submarina.

"Apenas após o término dos referidos estudos e avaliações dos peritos contratados poderá ser definido o plano de ação mais adequado." Até o momento não se conhecem as causas do naufrágio, pois não foram registradas ocorrências como explosão, incêndio ou colisão. O navio é avaliado em R$ 6 milhões.

Os tripulantes que foram resgatados desembarcaram no sábado, dia 21, foram recebidos em hotel, mas já estão em suas residências. A empresa garantiu que está fornecendo apoio psicológico a todos, extensivo a seus familiares.