Mercado fechado

Dona da antiga Eletropaulo, Enel quer comprar distribuidoras estaduais

IVAN MARTÍNEZ-VARGAS
SÃO PAULO, SP, 09.10.2019: EVENTO-SP - Governador João Doria participa, nesta quarta-feira (9), ao lado do CEO Global da Enel, Francesco Starace, do lançamento do Urban Futurability, projeto de transformação digital da rede elétrica do bairro da Vila Olimpia, por meio de novas tecnologias e inteligencia artificial. (Foto: PH Melo/MyPhoto Press/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A multinacional de energia Enel, que em 2018 adquiriu a AES Eletropaulo, tem a intenção de comprar as distribuidoras estaduais Cemig (Minas Gerais), Light (Rio de Janeiro) e GDF (Distrito Federal), segundo o principal executivo da empresa, Francesco Starace.

Starace afirmou que a companhia de origem italiana está em avançado processo de integração da antiga AES Eletropaulo (hoje Enel SP) e que poderá olhar para outros ativos em 2020. A empresa adquiriu 70% da distribuidora paulista em maio do ano passado por R$ 5,5 bilhões.

"A integração tem sido mais rápida que o esperado. Olhamos [oportunidades de negócio] em áreas urbanas e que tenham potencial de sinergia com regiões onde já atuamos", disse o executivo a jornalistas nesta quarta-feira (9).

Além da antiga Eletropaulo, a Enel controla distribuidoras em Rio de Janeiro, Ceará e Goiás. A companhia ainda atua no setor de geração e transmissão de energia.

"A GDF seria [uma aquisição] interessante porque já atuamos em Goiás. Em Minas Gerais também temos uma potencial sinergia, mas [a possibilidade de privatização] ainda parece estar nublada", disse.

Ao comentar sobre o possível processo de privatização da Light, o executivo afirmou que há interesse, embora diga que "há cinco anos se diz que faz sentido [a venda], mas nada aconteceu. Para nós, seria uma oportunidade porque poderíamos combinar as áreas de atuação [dá Light] com as nossas".

O executivo afirmou ainda que a empresa não avalia ampliar seu negócio de transmissão no curto prazo. A companhia já possui a Cien, responsável pela conversão e transmissão de energia entre Brasil e Argentina.