Mercado fechado
  • BOVESPA

    109.068,55
    -1.120,02 (-1,02%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.725,96
    -294,69 (-0,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,40
    -1,85 (-2,49%)
     
  • OURO

    1.799,00
    +1,00 (+0,06%)
     
  • BTC-USD

    16.850,24
    -146,08 (-0,86%)
     
  • CMC Crypto 200

    394,86
    -7,18 (-1,79%)
     
  • S&P500

    3.933,92
    -7,34 (-0,19%)
     
  • DOW JONES

    33.597,92
    +1,58 (+0,00%)
     
  • FTSE

    7.489,19
    -32,20 (-0,43%)
     
  • HANG SENG

    18.814,82
    -626,36 (-3,22%)
     
  • NIKKEI

    27.686,40
    -199,47 (-0,72%)
     
  • NASDAQ

    11.498,75
    -67,25 (-0,58%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4669
    -0,0118 (-0,22%)
     

Dólar em alta e Bolsa em queda: como o discurso de Lula afetou o mercado

Dólar subiu e a bolsa caiu: mercado financeiro está preocupado com PEC da Transição
Dólar subiu e a bolsa caiu: mercado financeiro está preocupado com PEC da Transição
  • Equipe de Lula quer aprovar PEC da Transição, que permite um gasto extra de R$ 175 bilhões;

  • Governo de Bolsonaro teria deixado um rombo fiscal de R$ 400 bilhões, segundo Henrique Meirelles;

  • Incertezas quanto ao acerto do movimento fiscal provocaram a má reação do mercado.

Se na semana passada o mercado financeiro reagiu positivamente à vitória eleitoral de Lula, nesta as coisas parecem ter se equilibrado, com o dólar voltando a subir e a Bolsa de Valores de São Paulo fechando o dia em queda. O que teria acontecido para que esse movimento inverso acontecesse?

Segundo investidores e analistas do mercado financeiro, como Vanei Nagem, sócio-diretor da Pronto! Investimentos, o mau resultado da bolsa de hoje é decorrente das preocupações dos investidores com a chamada PEC da Transição, que prevê um furo de até R$ 175 bilhões do teto de gastos.

A Proposta de Emenda à Constituição foi a forma encontrada da equipe econômica do governo de tentar manter o Auxílio Brasil em R$ 600, após o governo Bolsonaro ter deixado um rombo nas contas públicas que pode chegar a R$ 400 bilhões, segundo Henrique Meirelles, ex-ministro da Fazenda do governo Temer e criador do Teto de Gastos.

A promessa de manter o valor do Auxílio Brasil em R$ 600 foi feita por ambos candidatos à presidência, e sua implementação parece ser inegociável para o futuro presidente Lula. Para o mercado financeiro, no entanto, a promessa gera preocupação sobre questões legais e de onde os recursos devem vir, segundo Nagem disse ao G1.

No entanto, segundo cálculos da Instituição Fiscal Independente (IFI), órgão vinculado ao Senado Federal, o atual governo de Jair Bolsonaro, que conta com Paulo Guedes como ministro da Economia, estourou o Teto de Gastos em R$ 213 bilhões, um valor ainda menor do que o previsto pela equipe econômica de Lula.

Outra questão que pode ter impactado o mau resultado do mercado financeiro nesta quinta-feira foi o anúncio do aumento da inflação em outubro. Medida pelo IPCA, a taxa havia diminuído consecutivamente nos últimos três meses. O retorno da escalada de preços pode ser um sinal de que a inflação não está tão controlada quanto o anunciado por Guedes.