Mercado fechado

Dois ex-funcionários do Twitter são acusados de espionagem nos EUA

Wagner Wakka

A justiça norte-americana acusou dois ex-funcionários do Twitter por espionagem em favor do governo da Arábia Saudita. Segundo o jornal Washington Post, eles teriam usado o sistema da empresa para vigiar dissidentes do governo do príncipe Mohammed bin Salman, acusado de ser o mandante do assassinato do jornalista Jamal Khashoggi no ano passado, dentro da embaixada do país, na Turquia.

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos sentenciou ambos depois que um deles foi preso na tarde desta quarta-feira (6). Ahmad Abouammo é acusado de ter espionado pelo menos três contas dentro da plataforma para o governo saudita.

A polícia ainda tenta encontrar outra pessoa que trabalhou para a rede social e que teria acessado dados de mais de 6 mil perfis. Entre eles, está uma pessoa próxima a Khashoggi, que era um conhecido crítico ao governo saudita.

Segundo o Post, também há um terceiro integrante, este não funcionário do Twitter, que seria o intermediário entre o governo Saudita e os informantes. Ele também foi acusado de crimes pelo Departamento de Justiça.

Ainda, a matéria associa os três homens a um grupo comandado pelo próprio Mohammed bin Salman.

Em resposta, o Twitter disse que “limita o acesso a informações sensíveis a um grupo limitado de funcionários treinados”. A empresa também informou que “entende o enorme risco que qualquer pessoa que usa a plataforma para se manifestar. “Nós temos ferramentas para proteger a privacidade deles e a habilidade para este trabalho vital. Estamos comprometidos em proteger aqueles que usam nosso serviço para advogar pela igualdade, liberdades individuais e direitos humanos”, informou a companhia.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: