Mercado abrirá em 5 h 25 min
  • BOVESPA

    108.941,68
    -160,32 (-0,15%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.599,38
    -909,02 (-1,73%)
     
  • PETROLEO CRU

    85,67
    +0,53 (+0,62%)
     
  • OURO

    1.838,60
    +6,80 (+0,37%)
     
  • BTC-USD

    35.311,33
    -35,83 (-0,10%)
     
  • CMC Crypto 200

    815,97
    +573,29 (+236,23%)
     
  • S&P500

    4.397,94
    -84,79 (-1,89%)
     
  • DOW JONES

    34.265,37
    -450,03 (-1,30%)
     
  • FTSE

    7.494,13
    -90,88 (-1,20%)
     
  • HANG SENG

    24.701,38
    -264,17 (-1,06%)
     
  • NIKKEI

    27.588,37
    +66,11 (+0,24%)
     
  • NASDAQ

    14.552,75
    +126,25 (+0,88%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1704
    -0,0196 (-0,32%)
     

Doença misteriosa do Canadá faz mais vítimas após um ano, aponta denúncia

·3 min de leitura

No Canadá, cerca de 48 pessoas foram afetadas por uma doença cerebral misteriosa. Após um ano deste anúncio, mais casos da condição desconhecida e potencialmente fatal foram relatados por uma denúncia anônima de um funcionário da Vitalité Health Network — uma organização de saúde da província de New Brunswick, na região leste do país. O total atualizado de casos pode chegar aos 150.

De acordo com a denúncia publicada pelo jornal The Guardian, a doença neurológica misteriosa tem confundido os especialistas há mais de dois anos e parece afetar um número crescente de jovens adultos, causando rápido declínio cognitivo. Estes indivíduos sofrem com a perda rápida de peso, insônia, alucinações, dificuldade de raciocinar e perda da capacidade de mobilidade.

Casos de doença misteriosa do Canadá continuam a subir, segundo denúncia (Imagem: Reprodução/Cookelma/Envato)
Casos de doença misteriosa do Canadá continuam a subir, segundo denúncia (Imagem: Reprodução/Cookelma/Envato)

O que há de novo?

Atualmente, o número oficial de casos da doença desconhecida é 48 e, no momento, as autoridades oficiais de saúde da região negam o novo aumento de infectados na província de New Brunswick. Um novo relatório sobre a situação dos doentes é esperado ainda para este mês.

Por outro lado, fontes apontam para um acúmulo de casos que envolvem, principalmente, jovens adultos que aguardam por uma avaliação mais aprofundada. “Estou realmente preocupado com esses casos, porque eles parecem evoluir muito rápido”, explicou o denunciante.

Inclusive, existe a possibilidade da condição não afetar apenas esta providência canadense. “Esta não é uma doença de New Brunswick”, explica. “Provavelmente, somos a região que está levantando a bandeira, porque somos, principalmente, rurais e estamos em uma área onde as pessoas podem estar mais expostas a fatores ambientais”, completa.

Histórico da doença

A doença misteriosa foi tornada pública quando um memorando interno da agência de saúde pública de New Brunswick vazou no início de 2021. No entanto, relatos dos sintomas neurodegenerativos já eram documentados, localmente, desde 2018. Todos esses casos foram limitados a esta única província do país.

Dos 48 casos originais, nove pacientes morreram. No entanto, as autoridades locais afirmam que todos os corpos que foram submetidos a uma autópsia apontaram resultados de causas não relacionadas a essa doença neurológica desconhecida.

Agora, de acordo com as denúncias, pelo menos nove casos envolvem pessoas que estiveram em contato próximo com outras pessoas que sofrem de sintomas neurológicos incomuns. Entre os novos casos suspeitos, está o de uma mulher que, de forma inesperada, começou a ter insônia, perda de massa muscular e sofrer demência e alucinações. A paciente cuidava do marido que desenvolveu sintomas de demência e ataxia (perda da habilidade motora). Este foi um dos infectados pela doença misteriosa e, provavelmente, ela também.

Questão dos príons

Os sintomas dos pacientes apresentam algumas semelhanças com a doença de Creutzfeldt-Jakob (CJD). Esta é uma patologia cerebral rara e fatal causada por príons — partículas de proteínas que atuam como agentes infecciosos e que costumam ser neurodegenerativas.

No entanto, um relatório, divulgado no mês de outubro de 2021, descartou essa hipótese. Na ocasião, foi verificado que os pacientes testados apresentaram resultados negativos para formas conhecidas de doenças humanas causadas por príons.

Atualmente, cientistas da agência de saúde pública do país consideravam, segundo informações obtidas, a β-metilamino-L-alanina (BMAA) como uma possível causa, mas ainda aguardavam o início dos testes para confirmar a nova hipótese. Ela pode, eventualmente, ser encontrada em lagostas contaminadas.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos