Mercado fechado
  • BOVESPA

    121.113,93
    +413,26 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.726,98
    +212,88 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,07
    -0,39 (-0,61%)
     
  • OURO

    1.777,30
    +10,50 (+0,59%)
     
  • BTC-USD

    60.816,04
    -1.127,20 (-1,82%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.398,97
    +7,26 (+0,52%)
     
  • S&P500

    4.185,47
    +15,05 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    34.200,67
    +164,68 (+0,48%)
     
  • FTSE

    7.019,53
    +36,03 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.969,71
    +176,57 (+0,61%)
     
  • NIKKEI

    29.683,37
    +40,68 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    14.024,00
    +10,00 (+0,07%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6943
    -0,0268 (-0,40%)
     

Documentário vai celebrar a arte e a trajetória do influente criador do Hellboy

Claudio Yuge
·2 minuto de leitura

Mike Mignola é um dos influentes criadores dos quadrinhos modernos. O criador do Hellboy não somente ofereceu uma diferente abordagem para um mercado em decadência nos anos 1990, como também agregou um estilo artístico, uma narrativa simples e alternativa ao padrão vigente da época e uma pegada autoral com uma mistura de gêneros que se tornou referência para vários artistas — inclusive brasileiros, como os gêmeos Bá e Moon e André Ducci. Agora, ele finalmente terá um documentário sobre sua obra e trajetória.

“Foi um pouco impressionante — no bom sentido — ouvir aqueles caras [os entrevistados para o documentário] dizerem coisas tão boas. Acho que é um pouco como ser capaz de ir ao seu próprio funeral e ouvir as pessoas dizerem coisas boas sobre você. A verdade é que — pelo menos para mim — é realmente difícil entender como você ou seu trabalho causam impacto em outras pessoas", disse Mignola, em entrevista ao Newsarama.

Imagem: Reprodução/Jim Demonakos e Kevin Hanna
Imagem: Reprodução/Jim Demonakos e Kevin Hanna

Originalmente anunciado como um projeto financiado coletivamente no Kickstarter, Mike Mignola: Drawing Monsters já ultrapassou — e muito — sua meta de US$ 58 mil, com arrecadação de quase US$ 530 mil neste início de abril, pagos por cerca de 4,6 mil apoiadores. Entre os entrevistados estão fãs, artistas parceiros de trabalho do calibre de Neil Gaiman, Jill Thompson e Joe Quesada e profissionais de outras áreas, como o comediante Patton Oswalt e o escritor Jorge Gutierrez.

Imagem: Reprodução/Dark Horse Comics
Imagem: Reprodução/Dark Horse Comics

“É estranho. Quando eu disse sim, nunca pensei realmente sobre como seria ser o assunto de algo assim. É incrivelmente bom ouvir pessoas que você mal conhece dizer coisas realmente boas sobre você. Sinceramente, não consigo imaginar como será ver isso quando terminar", complementou Mignola, que tem um estilo inconfundível de sombreamento e traços que remetem aos desenhos da arte soviética do início do século XX.

Imagem: Reprodução/DC Comics
Imagem: Reprodução/DC Comics

Mignola ficou mais famoso por Hellboy, que se tornou carro-chefe da Dark Horse Comics e abriu espaço para um novo tipo de trama envolvendo mistério e sobrenatural, mas também fez obras consideradas clássicos instantâneos nos anos 1980, a exemplo de Batman: 1989 (ou Gotham by Gaslight, no original), que imagina o Homem-Morcego atrás do Jack, O Estripador na Inglaterra vitoriana; e Odisseia Cósmica, um épico da DC Comics.

Mike Mignola: Drawing Monsters é dirigido por Jim Demonakos e Kevin Hanna, que estão atualmente transformando mais de 80 horas de filmagens em um longa-metragem. O documentário deve chegar em abril de 2022, em Blu-Ray e plataformas digitais.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: