Mercado fechado
  • BOVESPA

    114.064,36
    +1.782,08 (+1,59%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.464,27
    +125,93 (+0,25%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,24
    -0,06 (-0,08%)
     
  • OURO

    1.742,80
    -36,00 (-2,02%)
     
  • BTC-USD

    44.683,32
    +1.500,17 (+3,47%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.119,18
    +10,26 (+0,92%)
     
  • S&P500

    4.448,98
    +53,34 (+1,21%)
     
  • DOW JONES

    34.764,82
    +506,50 (+1,48%)
     
  • FTSE

    7.078,35
    -5,02 (-0,07%)
     
  • HANG SENG

    24.510,98
    +289,44 (+1,19%)
     
  • NIKKEI

    29.639,40
    -200,31 (-0,67%)
     
  • NASDAQ

    15.296,00
    +132,50 (+0,87%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2250
    +0,0162 (+0,26%)
     

Doações de bilionários crescem na China da ‘prosperidade comum’

·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- Sete bilionários chineses direcionaram uma quantia recorde de US$ 5 bilhões para instituições de caridade este ano, uma soma que já supera em 20% o total de doações nacionais em 2020, de acordo com dados compilados pela Bloomberg News. Os magnatas assumem compromissos filantrópicos — seja na forma de participação no capital corporativo, fundações ou patrimônio pessoal — em um momento em que o presidente Xi Jinping defende a “prosperidade comum” em uma ampla campanha para diminuir a desigualdade de renda no país.

Xi tem enfatizado a redistribuição de riqueza na China, referindo-se a metas de “prosperidade comum” pelo menos 65 vezes em palestras e reuniões este ano — mais que o dobro das 30 menções registradas em todo o ano passado.

As implicações da campanha em termos de politicas públicas não estão claras, mas a China identificou uma “terceira distribuição de riqueza” — as doações individuais e a filantropia empresarial — além das intervenções do governo e do mercado.

Em uma reunião do alto escalão liderada por Xi em 17 de agosto, o governo declarou que “deve ajustar razoavelmente as rendas excessivas e encorajar empresas e pessoas de alta renda a retribuir mais para a sociedade”. Essa ideia de uma “mão social”, nas palavras da imprensa estatal, contará com a obrigação moral e as expectativas da sociedade para que os chineses mais abastados se desfaçam de parte de sua fortuna pessoal.

A soma dos maiores compromissos anunciados este ano ultrapassa os quase 27 bilhões de yuans (US$ 4,2 bilhões) doados por indivíduos e empresas em 2020, segundo o China Charity Ranking, que pede que pessoas físicas, jurídicas e fundações informem suas doações. A quantia total de fato é maior porque, em meio a incentivos da imprensa estatal e das redes sociais, companhias de renome e celebridades doaram mais de US$ 600 milhões a vítimas de enchentes na província de Henan.

Gigantes da tecnologia também prometeram alocar lucros correntes e futuros em projetos de filantropia, incluindo US$ 15 bilhões reservados pela Tencent Holdings para programas de responsabilidade social e o investimento de 10 bilhões de yuans da Pinduoduo no desenvolvimento agrícola.

More stories like this are available on bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos