Mercado fechado

Dívida do Flu passa de R$ 700 mi e clube precisa buscar saída

Fluminense está com muitos problemas financeiros (Thiago Ribeiro/AGIF)

Os anos dourados com a Unimed acabaram. O Fluminense não tem mais uma parceria que injeta dinheiro sem limites no clube e os anos de ‘vacas magras’ parecem seguir sem ter uma luz no fim do túnel. A dívida do clube ultrapassou os R$ 700 milhões e não tem dinheiro suficiente entrando para estancar boa parte das dívidas que estão aumentando. A boa notícia é que o clube conseguiu fechar o ano com todos os salários e direitos de imagem em dia.

SIGA O YAHOO ESPORTES NO INSTAGRAM
SIGA O YAHOO ESPORTES NO FLIPBOARD

O primeiro erro do Fluminense, diferentemente do Vasco, é fazer planos ousados para a próxima temporada. Na última semana, o presidente Mário Bittencourt apresentou as projeções do clube para 2020 e prometeu a conquista da Sul-Americana e vaga direta na Copa Libertadores de 2021. Na visão do mandatário, o clube precisa de apenas alguns reforços para disputar o Campeonato Brasileiro de igual para igual com Flamengo e Palmeiras, que estão bem na frente do clube dentro e fora dos gramados.

Leia também:

É possível? Dentro de campo, o futebol mostra que sim, mas fora dele, a situação do Fluminense é bem complicada. O clube conseguiu manter o custo do futebol baixo, mas teve déficit que ultrapassou os R$ 20 milhões no ano. E de onde vem tanto custo financeiro? O Flu ficou próximo dos 92 milhões projetados com a televisão, mas o ponto mais fraco é nos patrocínios. O time fez apenas 10 milhões dos R$ 36 milhões projetados. Ou seja, ficou muito distante do que esperava. 

As bilheterias do Fluminense são baixas, o time tem inúmeros prejuízos quando joga no Maracanã e ainda não encontrou uma forma de fazer com que o estádio traga dinheiro para os cofres do clube. E mesmo com a venda de vários atletas, alcançando os R$ 68 milhões esperados, o Tricolor Carioca não consegue fechar a conta. 

E nesse momento, entra o problema. O clube precisa pagar dívidas de R$ 340 milhões até o final de 2020. Isso será possível? Nem se o Fluminense ganhasse na Mega-Sena da Virada, que pagou por volta de R$ 302 milhões. Ou seja, o Tricolor carioca precisará sentar-se com os credores e renegociar todas as dívidas para pagamento em 2020. Ou vender os melhores jogadores, baixar salários e fazer caixa para que exista alguma possibilidade de pagamento.

O que o Fluminense precisa? Uma coisa simples, mas complicada para conseguir: dinheiro de investidores. O Tricolor Carioca precisa ir ao mercado e encontrar patrocinadores ou até fundos de investimentos que ganham dinheiro comprando dívidas alheias. O clube precisa de dinheiro externo urgentemente para conseguir pagar as operações do próximo ano e alcançar as metas impostas pelo presidente.

A pressão aumentará a cada dia mais para Mario Bittencourt e toda a diretoria. O Flu precisa urgentemente de dinheiro para conseguir sobreviver e, talvez, seguir o caminho do Botafogo e virar uma empresa, para que assim, consiga fazer caixa o suficiente para renascer dentro do cenário nacional do futebol.

Siga o Yahoo Esportes

Twitter | Flipboard | Facebook | Spotify | iTunes | Playerhunter