Mercado fechado
  • BOVESPA

    125.052,78
    -1.094,22 (-0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.268,45
    +27,95 (+0,06%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,17
    +0,10 (+0,14%)
     
  • OURO

    1.802,10
    +0,30 (+0,02%)
     
  • BTC-USD

    34.437,34
    +486,45 (+1,43%)
     
  • CMC Crypto 200

    786,33
    -7,40 (-0,93%)
     
  • S&P500

    4.411,79
    +44,31 (+1,01%)
     
  • DOW JONES

    35.061,55
    +238,15 (+0,68%)
     
  • FTSE

    7.027,58
    +59,28 (+0,85%)
     
  • HANG SENG

    27.321,98
    -401,82 (-1,45%)
     
  • NIKKEI

    27.548,00
    +159,80 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.091,25
    -6,75 (-0,04%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1225
    +0,0023 (+0,04%)
     

Divergências entre Anatel e o TCU devem atrasar o leilão do 5G no Brasil

·2 minuto de leitura

Originalmente previsto para acontecer em julho deste ano, o leilão do 5G para o Brasil deve atrasar. Disputas entre a Agência Nacional das Telecomunicações (Anatel) e o Tribunal de Contas da União (TCU) sobre pontos como a rede privativa do governo e o Programa Amazônia Integrada e Sustentável (Pais) devem contribuir para a desaceleração do processo.

Segundo o G1, o TCU está analisando a proposta enviada pelo Ministério das Comunicações desde março deste ano, mas a Anatel só terminou de responder a seus questionamentos próximo ao fim de junho. Os pontos que geram mais debate envolvem R$ 3,15 bilhões em investimentos — a proposta enviada prevê que eles sejam feitos pela iniciativa privada, mas especialistas afirmam que isso é responsabilidade do governo, o que bate de frente com o teto de gastos (mecanismo que limite o crescimento das contas públicas).

Em um dos questionamentos feitos ao governo e à Anatel, o TCU aponto que há indícios de ilegalidade em obrigar que a iniciativa privada lide com os gastos do País e da rede privativa de comunicação para o governo. Para o Ministro das Comunicações, Fábio Faria, não há a intenção de driblar regras fiscais na proposta enviada.

Leilão deve atrasar

A equipe técnica do TCU também questiona os cálculos usados para precificar as faixas que serão leiloadas, entre outros pontos do leilão. Em maio, o secretário de Telecomunicações do Ministério das Comunicações, Artur Coimbra, afirmou que a pasta tinha metas fortes de investimento e pretendia trazer o 5G a todas as capitais brasileiras em um prazo de um ano após o fim do leilão — até 2029, a previsão é a de que a tecnologia esteja presente em todas as cidades com mais de 30 mil habitantes.

Segundo Vivien Suruagy, presidente da Federação Nacional de Instalação e Manutenção de Infraestrutura de Redes de Telecomunicação (Feninfra), o prazo de 60 dias dado pelo governo para a análise da minuta de edital não era suficiente. Ela explica que isso se deve à complexidade do caso, que se trata do maior leilão de frequências já realizado.

“Creio que será necessário postergar os prazos, pois é bastante provável que seja impossível cumprir a estimativa inicial do cronograma”, explicou Suruagy. Em nota, o Ministério das Comunicações não deu previsão de prazo, afirmando somente que a Anatel e o TCU estão trabalhando para dar um andamento célere ao processo de implementação do 5G.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos