Mercado fechará em 2 h 12 min
  • BOVESPA

    111.781,03
    +2.063,09 (+1,88%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.574,21
    +113,66 (+0,23%)
     
  • PETROLEO CRU

    92,22
    -2,12 (-2,25%)
     
  • OURO

    1.815,40
    +8,20 (+0,45%)
     
  • BTC-USD

    24.026,25
    -368,73 (-1,51%)
     
  • CMC Crypto 200

    570,67
    -0,61 (-0,11%)
     
  • S&P500

    4.254,96
    +47,69 (+1,13%)
     
  • DOW JONES

    33.622,45
    +285,78 (+0,86%)
     
  • FTSE

    7.500,89
    +34,98 (+0,47%)
     
  • HANG SENG

    20.175,62
    +93,19 (+0,46%)
     
  • NIKKEI

    28.546,98
    +727,65 (+2,62%)
     
  • NASDAQ

    13.502,00
    +190,75 (+1,43%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2079
    -0,1158 (-2,18%)
     

Distribuidora da Neoenergia contrata financiamento "verde" de R$ 550 mi com IFC

Fachada da Neoenergia no Rio de Janeiro, no Brasil

SÃO PAULO (Reuters) - A Neoenergia anunciou nesta segunda-feira que sua distribuidora Coelba assinou com o International Finance Corporation (IFC), braço do Banco Mundial, um empréstimo vinculado a metas ambientais, sociais e de governança, no valor de 550 milhões de reais, e prazo de oito anos.

O financiamento contratado é uma dívida certificada como verde e se enquadra na categoria de "sustainability linked loan". O contrato prevê que a Neoenergia atinja algumas metas, as quais serão apuradas em 2026 e, se atendidas, reduzirão o custo da dívida.

Segundo a elétrica controlada pela espanhola Iberdrola, o financiamento servirá a investimentos (capex) de sua distribuidora que atua na Bahia, como melhorias, digitalização e expansão da rede.

Esse é o primeiro financiamento da modalidade concedido pelo IFC a uma distribuidora de energia, disse a Neoenergia, e um dos primeiros "sustainability linked loan" de infraestrutura no Brasil e no setor de distribuição de energia na América Latina.

“Vincular esse financiamento a metas ambientais, sociais e de governança traz transparência à nossa atuação e reforça o nosso compromisso com o setor de energia do país”, disse em nota Eduardo Capelastegui, que assumirá o posto de CEO da Neoenergia nesta semana.

Entre as metas ambientais e de gênero previstas em contrato, a Neoenergia se comprometeu a reduzir o índice das emissões de carbono em suas unidades, atingindo emissões abaixo de 50g de gás carbônico por kilowatt gerado até 2026, e a promover a inclusão de mulheres no setor elétrico, alcançando 10,7% de mulheres eletricistas na Neoenergia em 2026.

No caso da ampliação da participação feminina, a empresa destacou que oferece oportunidades em seu projeto "Escola de Eletricistas", já tendo formado mais de 400 mulheres e contratado cerca de 270 em distribuidoras do grupo desde 2017.

(Por Letícia Fucuchima; edição de Nayara Figueiredo)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos