Mercado abrirá em 5 h 56 min
  • BOVESPA

    107.937,11
    -1.004,57 (-0,92%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.890,59
    -708,79 (-1,37%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,64
    +0,33 (+0,40%)
     
  • OURO

    1.842,50
    +0,80 (+0,04%)
     
  • BTC-USD

    36.087,52
    +109,62 (+0,30%)
     
  • CMC Crypto 200

    821,53
    +10,93 (+1,35%)
     
  • S&P500

    4.410,13
    +12,19 (+0,28%)
     
  • DOW JONES

    34.364,50
    +99,13 (+0,29%)
     
  • FTSE

    7.297,15
    -196,98 (-2,63%)
     
  • HANG SENG

    24.656,46
    0,00 (0,00%)
     
  • NIKKEI

    27.113,13
    -475,24 (-1,72%)
     
  • NASDAQ

    14.318,50
    -182,50 (-1,26%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2127
    -0,0160 (-0,26%)
     

Dispositivo portátil pode detectar presença de coronavírus no ar em tempo real

·2 min de leitura

Pesquisadores da Universidade Yale, nos Estados Unidos, desenvolveram um dispositivo portátil que pode identificar a presença do coronavírus SARS-CoV-2, em tempo real, no ar. Apelidado como Fresh Air Clip, o equipamento é um amostrador passivo e pode ser um aliado no combate à covid-19 para trabalhadores com alto risco de exposição.

Publicado na revista científica Environmental Science & Technology Letters, o estudo norte-americano demonstrou que o dispositivo pode ajudar na avaliação de risco pessoal ao SARS-CoV-2. Para isso, o equipamento absorve continuamente aerossóis potencialmente carregados de vírus em uma superfície de polidimetilsiloxano.

Dispositivo deve identificar a presença do vírus da covid-19 no ar (Imagem: Reprodução/Angel et al., 2022/Environmental Science & Technology Letters)
Dispositivo deve identificar a presença do vírus da covid-19 no ar (Imagem: Reprodução/Angel et al., 2022/Environmental Science & Technology Letters)

Identificando ambientes contaminados

Vale explicar que a covid-19 é transmitida, principalmente, pela inalação de aerossóis carregados de vírus ou de gotículas respiratórias que os indivíduos infectados expelem ao tossir, espirrar, falar ou respirar. Em outras palavras, o ar contaminado é um elemento chave no processo de transmissão da doença.

A partir desse entendimento, os cientistas buscaram formas de identificar a presença do coronavírus em ambientes internos, de forma simplificada. Segundo a equipe, os equipamentos disponíveis do tipo são, geralmente, grandes, caros, fixos e demandam o uso de eletricidade.

Testes com o dispositivo

Durante o estudo, os cientistas da Universidade Yale testaram a eficácia do dispositivo em um tambor rotativo, onde existiam aerossóis contaminados por um vírus similar em suas propriedades ao coronavírus SARS-CoV-2. Foi possível detectar a presença do agente infeccioso no equipamento, segundo os autores.

Em seguida, os pesquisadores testaram o invento em 62 voluntários. Os participantes apresentavam alto risco de exposição e usaram o equipamento por cinco dias. As análises detectaram a presença do RNA do SARS-CoV-2 em cinco dos dispositivos: quatro foram usados ​​por funcionários de restaurantes e um por um funcionário do abrigo. Curiosamente, as cargas virais mais altas foram associadas aos funcionários dos restaurantes.

Até o momento, não existe uma previsão para que o dispositivo chegue ao mercado, mas pode ser uma ferramenta valiosa para estimar, de forma confiável, as concentrações de vírus no ar. Nesse sentido, pode ser mais uma camada de proteção contra a covid-19, além de máscaras, ventilação adequada dos ambientes e distanciamento social.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos