Mercado abrirá em 8 h 48 min
  • BOVESPA

    107.557,67
    +698,80 (+0,65%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.918,28
    +312,72 (+0,62%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,91
    -0,14 (-0,19%)
     
  • OURO

    1.791,30
    +6,60 (+0,37%)
     
  • BTC-USD

    50.417,02
    -348,11 (-0,69%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.302,40
    -18,88 (-1,43%)
     
  • S&P500

    4.686,75
    +95,08 (+2,07%)
     
  • DOW JONES

    35.719,43
    +492,40 (+1,40%)
     
  • FTSE

    7.339,90
    +107,62 (+1,49%)
     
  • HANG SENG

    24.042,49
    +58,83 (+0,25%)
     
  • NIKKEI

    28.774,05
    +318,45 (+1,12%)
     
  • NASDAQ

    16.398,00
    +80,00 (+0,49%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3533
    +0,0136 (+0,21%)
     

Dispositivo gera anticorpos contra câncer e mede eficácia de tratamentos

·1 min de leitura

Um grupo de pesquisadores do Virginia Polytechnic Institute and State University (EUA) criou um dispositivo feito com fibras ópticas incorporadas a eletrodos, capaz de entregar anticorpos imunoterapêuticos contra o câncer enquanto mede os sinais elétricos do tumor para monitorar a eficácia do tratamento. A pesquisa foi realizada com roedores.

Ao usar essas fibras ópticas incorporadas nos eletrodos, combinando a entrega de anticorpos com terapia fotodinâmica, os pesquisadores foram capazes de obter uma imunidade antitumoral sustentada com redução total da lesão em vários modelos diferentes. Para testar se os camundongos utilizados no estudo alcançaram "memória imunológica" contra tumores, os pesquisadores injetaram-nos células tumorais. Descobriram, então, que nenhum dos camundongos curados tinha recidiva da lesão tumoral.

(Imagem: Divulgação/Virginia Polytechnic Institute and State University)
(Imagem: Divulgação/Virginia Polytechnic Institute and State University)

O estudo menciona as células T, que atuam eliminando ativamente células infectadas. "Podemos infundir anticorpos através de nossa fibra em miniatura rumo ao tumor para ativar as células T em torno das células tumorais e ainda obter imunidade antitumoral, recrutando mais células T para o núcleo da lesão. Isso acabará por produzir imunidade antitumoral forte e duradoura", apontam os pesquisadores.

A pesquisa descobriu que medir os sinais elétricos do tumor usando o novo dispositivo é um procedimento rápido, que permite o monitoramento em tempo real do crescimento da neoplasia, o que difere muito das terapias convencionais. O estudo completo pode ser encontrado aqui.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos